Impactos socioambientais do turismo na Ilha Grande–RJ

Autores

  • Gercton Bernardo Coitinho Universitário Augusto Motta (UNISUAM).
  • Maria Geralda Miranda Universidade Federal Fluminense (UFF).
  • Reis Friede Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2018.v27.n52.p101-121

Palavras-chave:

Turismo, Impactos sociais, Impactos ambientais, Desenvolvimento local

Resumo

O turismo se desenvolve em ritmo acelerado na Ilha Grande desde os anos 1980, desencadeando impactos econômicos, sociais e ambientais. Através de pesquisa bibliográfica e documental, associada a entrevistas estruturadas com os habitantes locais, fez-se uma primeira análise desses impactos, focando nos aspectos socioambientais. Observa-se descompasso entre o número crescente de turistas e a evolução da infraestrutura para suportar tal afluxo sem ocasionar impactos ambientais negativos, assim como insipiente educação ambiental e baixo grau associativo dos ilhéus e, ainda, ocorrência de choques culturais advindos da interação entre os locais e os turistas devido às suas diferenças. É positivo gerar um processo que empodere os ilhéus, tornando-os protagonistas deste processo que envolve o desenvolvimento e a manutenção de infraestrutura, efetiva educação ambiental e capacitação da população de modo a permitir interação com outras culturas sem perda de autenticidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇOS PÚBLICOS CONCEDIDOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS, FERROVIÁRIOS E METROVIÁRIOS E DE RODOVIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (AGETRANSP). Quantitativo de passageiros transportados na linha regular Mangaratiba–Abraão, de 1992 a 2016. Rio de Janeiro, 2017.

AMORIM, C. Comando Vermelho: a história secreta do crime organizado. 4. ed. Rio de Janeiro: Record, 1994.

ANGRA DOS REIS. Estado contrata empresa para obras do Prodetur no Abraão. 2016. Disponível em: <https://www.angra.rj.gov.br/noticia.asp?vid_noticia=49916&IndexSigla=imp>. Acesso em: 26 jun. 2017.

______. Decreto nº 20.172, de 01 de julho de 1994. Instituiu o Plano Diretor da Área de Proteção Ambiental de Tamoios, localizada no Município de Angra dos Reis, criada pelo Decreto nº 9.452, de 05/12/86. Angra dos Reis, RJ, 1994. Disponível em: <http://www.angra.rj.gov.br/sapo/_uploads/SAD/doc/concurso/Decreto_estatual_20172_94.htm>. Acesso em: 27 jun. 2017.

______. Prefeitura cria força tarefa para limpar a Ilha Grande. 2017. Disponível em: <http://www.angra.rj.gov.br/imprensa_noticias_release.asp?vid_noticia=52559&indexsigla=iim>. Acesso em: 26 jun. 2017.

BARRETTO, M. O imprescindível aporte das ciências sociais para o planejamento e a compreensão do turismo. Horizontes Antropologicos, v. 9, n. 20, p. 15-29, out. 2003.

BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. O estudo do consumo nas ciências sociais contemporâneas. In: BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. (Org.). Cultura, consumo e identidade. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p. 21-46.

BRASIL. Ministério do Turismo. Anuário Estatístico do Turismo - dados e fatos 2016. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://dadosefatos.turismo.gov.br/2016-02-04-11-53-05/item/download/440_268262d9bdef3912cbdea85a0599e997.html>. Acesso em: 30 mar. 2017.

BRASILCRUISE. Associação Brasileira de Terminais de Cruzeiros Marítimos. Escalas. Disponível em: <http://www.brasilcruise.com.br/Escalas.asp>. Acesso em: 21 jun. 2017.

BRIGADA MIRIM ECOLÓGICA DA ILHA GRANDE. Relatório de atividades 2014. Angra dos Reis, RJ, 2014. Disponível em: <http://brigadamirim.org.br/wp-content/uploads/2016/11/rel-2014-auditoria.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2017.

DIAS, R. Turismo sustentável e meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2003.

FUNDAÇÃO DE TURISMO DE ANGRA DOS REIS (TURISANGRA). Ordenamento do turismo náutico: cenários e proposições. Angra dos Reis, RJ, 2016.

GOMES, M. M. A natureza sob vigilância: Etnoecologia e ethos penitenciário na Ilha Grande. In: PRADO, R. M. (Org.). Ilha Grande: do sambaqui ao turismo. Rio de Janeiro: Garamond/EDUERJ, 2006. p. 221-250.

GURSOY, D. Et al. Resident attitudes: a strutural modeling approach. Annals of Tourism Research, v. 29, n. 1, p. 79-105, jan. 2002.

HAWKINS, D. I.; MONTHERSBAUGH, D. L.; BEST, R. J. Comportamento do consumidor: construindo a estratégia de marketing. 10. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

ILHA GRANDE. Mapas. Disponível em: <http://www.ilhagrande.com.br/mapas/>. Acesso em: 20 jun. 2017.

ILHA Grande: um paraíso sem infraestrutura. O Globo, Rio de Janeiro, 23 abr. 1976. Plantão Globo, p. 8.

ILHA Grande: um paraíso ameaçado. Desleixo do poder público ou interesses escusos? O Eco, Angra dos Reis, RJ, n. 160, set. 2012. (Edição especial).

ILHA GRANDE PARA TODOS. Como irá funcionar. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: <http://www.ilhagrandeparatodos.rj.gov.br/como-ira-funcionar/>. Acesso em: 12 mar. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Anual de Serviços 2014. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/150/pas_2014_v16.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2017.

______. Censo 2010. Brasília, DF, 2016. Disponível em: <http://mapasinterativos.ibge.gov.br/grade/default.html>. Acesso em: 12 mar. 2017.

INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE (INEA). Decreto Estadual nº 15.273, de 26 de junho de 1971. Cria o Parque Estadual da Ilha Grande. Rio de Janeiro, 1971. Disponível em: <http://www.inea.rj.gov.br/cs/groups/public/documents/document/zwew/mdq4/~edisp/inea0048971.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2017.

______. Decreto Estadual nº 40.602, de 12 de fevereiro de 2007. Dispõe sobre a ampliação, ratificação e consolidação do Parque Estadual da Ilha Grande, localizado no município de Angra dos Reis, e dá outras providências. Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: <http://www.inea.rj.gov.br/cs/groups/public/documents/document/zwew/mdi2/~edisp/inea0026734.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2017.

______. Produto IV – Avaliação da capacidade de suporte na Ilha Grande. Rio de Janeiro, 2012a.

______. Produto III – Levantamento das informações, sistematização e análise crítica da situação atual das atividades turísticas na Ilha Grande. Rio de Janeiro, 2012b.

JUNG, C. G. O eu e o inconsciente. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

KOTLER, P. Princípios de marketing. 15. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2015.

KRIPPENDORF, J. Sociologia do turismo: para uma nova compreensão do lazer e das viagens. São Paulo: Aleph, 2001.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. 24. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

LOHMANN, G.; NETTO, A. P. Teoria do turismo: conceitos, modelos e sistemas. São Paulo: Aleph, 2008.

LOVELOCK, C. Marketing de serviços: pessoas, tecnologia e resultados. 5. ed. São Paulo: Pearson, 2006.

MOESCH, M. M. A produção do saber turístico. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2002.

OLINTO, G.; MEDEIROS, A. L. S. Capital social e biblioteca pública. In: ALBAGLI, S. (Org.). Fronteiras da Ciência da Informação. Brasília, DF: Ibict, 2013.

OLIVEIRA, E. S. Impactos socioambientais e econômicos do turismo e suas repercussões no desenvolvimento local: o caso de Itacaré–Bahia. 2008. 153f. Dissertação (Mestrado em Cultura e Turismo) – Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ilhéus, BA, 2008.

PRADO, R. M. Tensão no paraíso: aspectos da intensificação do turismo na Ilha Grande. Caderno Virtual de Turismo, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 1-9, 2003. Disponível em: <http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/25/23>. Acesso em: 15 maio 2017.

RIO DE JANEIRO. Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Decreto Legislativo nº 41.921, de 19 de junho de 2009. Altera o Plano Diretor da Área de Proteção Ambiental de Tamoios, localizada no Município de Angra dos Reis, e dá outras providências. Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: <http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/scpro0711.nsf/02ac6f279b568e24832566ec0018d839/59e283f68c6ff25c8325764f007662ad?OpenDocument>. Acesso em: 15 maio 2017.

SAMARA, B. S. Comportamento do consumidor: conceitos e casos. São Paulo: Prentice Hall, 2005.

SANTIAGO, A. M. A. De “Caldeirão do diabo” a “paraíso ecológico”: a conversão da Ilha Grande. 2010. 264f. Tese (Doutorado em Meio Ambiente) – Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, 2010.

SANTOS, M. S. A construção da violência: o caso da Ilha Grande. In: PRADO, R. M. (Org.). Ilha Grande: do sambaqui ao turismo. Rio de Janeiro: Garamond: EDUERJ, 2006. P. 191-220. p. 191-220.

SOLOMON, M. R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

SCHEYVENS, R. Ecoturism and the empowerment of local communities. Tourism Management, v. 29, n. 2, p. 245-249, 1999.

SWARBROOKE, J. Turismo sustentável: conceitos e impacto ambiental. São Paulo: Aleph, 2000.

YOUTUBE. Jornal da Manchete. O presídio da Ilha Grande. Rio de Janeiro, 2017a. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=AqktGbknESQ>. Acesso em: 15 maio 2017.

______. Fantástico. Presídio da Ilha Grande – parte 1. Rio de Janeiro, 2017b. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=P7Ixf1BuwfY>. Acesso em: 15 maio 2017.

______. Fantástico. Presídio da Ilha Grande – parte 2. Rio de Janeiro, 2017c. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8lVTE9tD0bo&t=7s>. Acesso em: 15 maio 2017.

WORLD TRAVEL & TOURISM COUNCIL (WTTC). Travel & Tourism Economic Impact 2016. 2016. Disponível em: <https://www.wttc.org/-/media/files/reports/economic-impact-research/countries-2016/brazil2016.pdf>. Acesso em: 02 mar. 2017.

WUNDER, S. Modelos de turismo, florestas e rendas locais. In: PRADO, R. M. (Org.). Ilha Grande: do sambaqui ao turismo. Rio de Janeiro: Garamond: EDUERJ, 2006. p. 133-190.

Publicado

2018-08-31

Como Citar

COITINHO, G. B.; MIRANDA, M. G.; FRIEDE, R. Impactos socioambientais do turismo na Ilha Grande–RJ. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 27, n. 52, p. 101–121, 2018. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2018.v27.n52.p101-121. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/5300. Acesso em: 26 maio. 2024.