O MOVIMENTO DE CULTURA POPULAR E O LUGARDE UMA SENSIBILIDADE E INTELIGÊNCIA IDENTIFICADAS NAS PRÁTICAS POPULARES

Autores

  • Luiz Gonzaga Gonçalves Professor do Centro de Educação

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%25p

Resumo

Este artigo procura evidenciar que o Movimento de Cultura Popular (MCP) do Recife ganhou notoriedade, na década de 1960, como espaço de lutas por mudanças sociais.
Em grande parte, isso aconteceu porque seus intelectuais superaram o entendimento instituído sobre cultura e cultura popular, e o pessimismo que impregnava tal entendimento. Considera-se que o MCP conseguiu dar esse passo em suas propostas de alfabetização de adultos e de ação cultural ao assumir, conforme consta em seu estatuto, a pesquisa, a investigação e o diálogo criativo com os trabalhadores dos
setores populares. Para ilustrar essas afirmações foram consultados o Estatuto do MCP, o Livro de Leitura para Adultos e o livro Educação como Prática da Liberdade, de
Paulo Freire, entre outros escritos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Gonzaga Gonçalves, Professor do Centro de Educação

Professor do Centro de Educação. Participante da Linha de Pesquisa Educação Popular, do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Paraíba. Membro do GT de Educação Popular da ANPEd

Referências

AZEVEDO, Fernando de. A cultura brasileira: introdução ao estudo da cultura brasileira. 4. ed. Brasília: Editora Universi-tária de Brasília, 1963.

BARBOSA, Letícia Rameh. Movimento de Cultura Popular: impactos na sociedade pernambucana. Recife:Editora do Autor, 2009.

BOMFIM, Manoel. A América Latina: males de origem. Rio de Janeiro: Topbooks, 1993.

FAVERO, Osmar. Cultura popular e educação popular: memó-ria dos anos 80. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

_________, Referências sobre material didático para a educação popular. In Perspectivas e dilemas da educação

popular. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

FERNANDES, Florestan. O dilema educacional brasileiro. In: PEREIRA, Luiz; FORACCHI, Marialice. Educação e sociedade: leituras de sociologia e história. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1964.

FERREIRA, Márcia Santos. Os centros de pesquisas educacio-nais do INEP e os estudos em ciências sociais sobre a educação no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 13 n. 38, p. 279-292, maio/ago. 2008. Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n38/07.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2010.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

______; BETTO, Frei. Essa escola chamada vida: depoimentos ao repórter Ricardo Kotscho. São Paulo: Ática, 1986.

FREITAS, Marcos Cezar de. A pesquisa educacional como questão intelectual na História da educação brasileira

(breves anotações para uma hipótese de trabalho) In: ______. Memória intelectual da Educação brasileira.

Bragança Paulista: EDUSF, 1999.

GODOY, Josina, M. L.; COELHO, Norma P. C. C. Livro de leitura de adultos. Recife: Prefeitura do Recife, 1962.

GONÇALVES, Luiz G. Importância das práticas não escolares para o processo de inclusão social e educacional de pessoas jovens, adultas e idosas. TV Escola. Educação ao longo da vida. Salto para o futuro, Brasília, ano XIX, n. 11, set. 2009. Disponível em: <http://www.tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/165745Edulongovida.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2010.

MOVIMENTO DE CULTURA POPULAR DE RECIFE. Estatuto. Recife, 1961. Disponível em: <http://forumeja.org.br/df/-files/estatuto_mcp.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2010.

PAIVA, Vanilda. Educação popular e educação de adultos. 2. ed. São Paulo: Loyola, 1983.

RIDENTI, Marcelo. Cultura e política brasileira: enterrar os anos 60? In: BASTOS, Elide Rugai; ______; ROLLAND,

Denis (Org.). Intelectuais: sociedade e política, Brasil-França. São Paulo: Cortez, 2003. p.197-212.

SADER, Eder; PAOLI, Ana Maria. Sobre “Classes Populares” no pensamento sociológico brasileiro. In: DURHAM,Eunice; CARDOSO, Ruth. A aventura antropológica: teoria e pesquisa. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1986.

SAVIANI, Demerval. História das ideias pedagógicas no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.

Como Citar

GONÇALVES, L. G. O MOVIMENTO DE CULTURA POPULAR E O LUGARDE UMA SENSIBILIDADE E INTELIGÊNCIA IDENTIFICADAS NAS PRÁTICAS POPULARES. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 21, n. 37, 2013. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/478. Acesso em: 27 fev. 2024.