O DESCOMPASSO DOS PROGRAMAS DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: SIGNIFICADOS E SENTIDOS

Autores

  • Telma Cruz Costa Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%25p

Resumo

A reflexão proposta neste artigo resulta da pesquisa realizada no território insular de Salvador visando compre-ender as trajetórias escolares dos sujeitos/mulheres que participam do Programa de Alfabetização Salvador Cidade das Letras/Brasil Alfabetizado, identificando os valores, significados e expectativas que atribuem à aquisição e usos da leitura e da escrita. O estudo tece, ainda, discussões sobre o lugar que a leitura e a escrita assumem no cotidiano da sala de aula, evidenciando o descompasso existente entre os desejos e as necessidades que as mulheres elaboram em
referência ao domínio das competências da leitura e da escrita e o insucesso diante dos conteúdos escolares poucos significativos. A história oral temática como procedimento
metodológico de cunho qualitativo mostrou-se mais apropria-da à finalidade da pesquisa e às especificidades dos aspec-tos socioculturais que configuram as trajetórias escolares
dessas mulheres cujas demandas foram reprimidas historica-mente. A relevância das reflexões resultantes da investigação enuncia a urgente necessidade da formulação de políticas públicas específicas para atender às necessidades educacio-nais de grupos sociais que habitam o espaço da ilha do município de Salvador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Telma Cruz Costa, Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer

Pedagoga. Mestra em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Especialista em Educação de Jovens e Adultos, atuando na Coordenação de EJA na Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer no município de Salvador.

Referências

COSTA, Telma Cruz. Percursos de vida, trajetórias escolares: narrativas (auto) biográficas das mulheres do programa

de alfabetização de jovens e adultos de Praia Grande, Ilha de Maré-Salvador-BA. 2010. 140 f. (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2010.

DAMATTA, Roberto. A casa & a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco,1997.

DI PIERRO, Maria Clara. Descentralizações, focalização e parceria: uma análise das tendências nas políticas públicas

de educação de jovens e adultos. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 2, p. 321-337, jul./dez.2001.

______; CARVALHO, Marília. A escola brasileira e as desigual-dades de gênero. In: CARVALHO, Marília (Org.).A educação brasileira na década de 90. Rio de Janeiro: IBASE, 2000. p. 97-100.

FÁVERO, Osmar. Lições da história: os avanços de 60 anos e a relação com as políticas de negação de direitos que alimentam as condições do analfabetismo no Brasil. In: PAIVA, Jane; OLIVEIRA, Inês Barbosa de (Org.).

Educação de Jovens e Adultos. Petrópolis, RJ: DEPETRUS, 2009. p. 9-21.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra,2006. (Coleção Leitura).

______. Conscientização – teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Centauro, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Dados do Censo 2010. Disponível em:

<http://www.censo2010.ibge.gov.br/dados_divulgados/index.php?uf=29>. Acesso em: 28 out. 2011.

KLEIMAN, A. Os significados do letramento. Campinas: Mercado das Letras, 1995a.

______. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: ______ (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995b. p.15-61.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. HOLANDA, Fabíola. História Oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto,2007.

MOITA LOPES, Luiz Paulo de. Identidades fragmentadas: a construção discursiva de raça, gênero e sexualidade em sala de aula. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002. (Coleção Letramentos, Educação e Sociedade).

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Educação e letramento. São Paulo: UNESP, 2004.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Letramento, Cultura e modalidade de pensamento. In: KLEIMAN, A (Org.). Os significados

do letramento. Campinas: Mercado das Letras, 1995. p. 147-160.

______. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 22., 1999, Caxambu, MG. Anais... Caxambu, MG: ANPEd, 1999.

______. Sobre diferenças individuais e diferenças culturais: o lugar da abordagem histórico-cultural. In: AQUINO,J. G (Org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1997. p. 45-61.

PEREIRA, Marina Lúcia. A construção do letramento na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica/

FCH-FUMEC, 2005.

RIBEIRO, Vera Masagão. (Org.). Letramento no Brasil: Reflexões a partir do INAF 2001. São Paulo: Global, 2004.

SALVADOR. Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer. Política Pública de Alfabetização deJovens e Adultos. Salvador, 2007.

SILVA, Tomaz da. Currículo e Identidade Social: territórios contestados. In: ______ (Org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação.Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 190-207.

SOARES, Magda. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, n. 25, jan./fev./

mar./abr. 2004a. p. 5-17.

______. Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, Vera Masagão (Org.). Letramento no Brasil: Reflexões a partir

do INAF 2001. São Paulo: Global, 2004b. p. 89-113.

Como Citar

COSTA, T. C. O DESCOMPASSO DOS PROGRAMAS DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: SIGNIFICADOS E SENTIDOS. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 21, n. 37, 2013. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/477. Acesso em: 27 fev. 2024.