REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE FUTURAS PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL:IDENTIDADE E FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM QUESTÃO

Autores

  • Jaqueline Cristina Massucato Pontifícia Universidade Católica de Campinas
  • Heloisa Helena Oliveira de Azevedo Pontifícia Universidade Católica de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%25p

Resumo

Este artigo aborda a formação de professores de educação infantil, constituindo-se em um relato de pesquisa. O problema de pesquisa situa-se em conhecer o papel
da formação inicial no processo de reconstrução de sua identidade profissional, objetivando investigar o papel dessa formação na reconstrução das representações sociais de futuras professoras de educação infantil sobre a profissão. Desenvolvemos um estudo baseado na abordagem qualitativa de pesquisa, cujo referencial teóricometodológico
pautou-se na Teoria das Representações Sociais de Moscovici (2009). As técnicas de coleta de dados adotadas foram a aplicação de questionários a 46 concluintes de um curso de pedagogia de uma universidade particular do estado de São Paulo, dentre os quais selecionamos 05 alunas para partici-parem da realização de entrevistas semiestruturadas. Os dados coletados foram analisados com base na identificação das seguintes categorias de análise: identidade docente, concepção de professor e desafios para a formação docente. Os resultados obtidos indicaram o reconhecimento do
professor da educação infantil enquanto pertencente à categoria profissional professor, com saberes específicos para sua atuação e que, portanto, necessita ser reconhecido
profissional e socialmente pela importância de sua função.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Cristina Massucato, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Professora do Curso de Pedagogia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Parfor)

Heloisa Helena Oliveira de Azevedo, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Doutora em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Professora Permanente do PPGE da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, São Paulo, Brasil.

Referências

ARCE, A.; BALDAN, M. A criança menor de três anos produz cultura? Criação e reprodução em debate na apropriação

da cultura por crianças pequenas. In: ARCE, A; MARTINS, L. M (Org.). Ensinando aos pequenos de zero a três anos. Campinas, SP: Editora Alínea, 2009. p. 187-204.

AZEVEDO, H. H. O. de. Formação inicial de profissionais de Educação Infantil: desmistificando a separaçãocuidar-

educar. 2005. 249 f. Tese (Doutorado em Educação)– Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, SP, 2005.

JODELET, D. Representações Sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D (Org.). As Representações

Sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 17-44.

KUHLMANN JR., M. Infância e Educação Infantil: uma abordagem histórica. 4. ed. Porto Alegre: Mediação2007. 210 p.

______. A Educação Infantil no século XX. In: BASTOS, M. H. C.; STEPHANOU, M (Org.). Histórias e memórias da Educação no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005. p. 182-194.

MASSUCATO, J. C. Professora, educadora ou babá? Desafios para a reconstrução da identidade profissional na educação infantil. 2012. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação)– Pontifícia Universidade Católica de Campinas,Campinas, SP, 2012.

MAZZOTTI, A. J. A. Representações Sociais: aspectos teóricos e aplicações à Educação. Revista Múltiplas Leituras,v. 1, p. 18-43, jan./jun. 2008. Disponível em: <https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/

ML/article/viewFile/1169/1181>. Acesso em: 07 jun. 2010.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.404 p.

RANGEL, M. Das dimensões da representação do “bom professor” às dimensões do processo de ensino-prendizagem.

In: TEVES, N.; ______. Representação social e educação: temas e enfoques contemporâneos de pesquisa.Campinas, SP: Papirus, 1999. p. 47-77. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

SMOLKA, A. L. B. Estatuto de sujeito, desenvolvimento humano e teorização sobre a criança. In: FREITAS, M. C.

de; KUHLMANN JR., M (Org.). Os intelectuais na história da infância. São Paulo: Cortez, 2002. p. 99-127.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvol-vimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008. 182 p.

Como Citar

MASSUCATO, J. C.; AZEVEDO, H. H. O. de. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE FUTURAS PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL:IDENTIDADE E FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM QUESTÃO. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 21, n. 37, 2013. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/475. Acesso em: 27 fev. 2024.