TRAMAS DAS RELAÇÕES NA ESCOLA:TRAJETÓRIAS ESCOLARES DE JOVENS DA EJA

Autores

  • Idalina Souza Mascarenhas Borghi Faculdade Social da Bahia
  • Maria Roseli Gomes Brito Sá Universidade Federal da Bahia.

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%25p

Resumo

Com objetivo de refletir sobre as trajetórias escolares de jovens da EJA e evidenciar os significados que a escola assume para suas vidas, analisamos biografias escolares de jovens de uma escola pública da cidade do Salvador. Observou-se que a escola é considerada pelos estudantes como fenômeno paradoxal: ora representada como espaço de exclusão, na medida em que não consegue prover aprendizagens significativas, ora representada como espaço de sociabilidade e proteção, no momento em que facilita o encontro com os colegas e contribui para a formação de novas identidades, consideradas por alguns estudantes como identidades que os protegem de outras já construídas. Conhecer suas trajetórias é um caminho para compreender suas demandas e não potencializar, ainda mais, a exclusão gerada pelo imaginário coletivo, e pode se configurar um caminho para a escola repensar suas propostas pedagógicas e sua própria função social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Idalina Souza Mascarenhas Borghi, Faculdade Social da Bahia

Doutoranda e Mestra em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Professora da Faculdade Social da Bahia.

Maria Roseli Gomes Brito Sá, Universidade Federal da Bahia.

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Professora Adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia

Referências

ARROYO, Miguel. Imagens Quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

ARROYO, Miquel. Balanço da EJA: o que mudou nos modos de vida dos jovens-adultos populares? REVEJ@

- Revista de Educação de Jovens e Adultos, v. 1, n. 0, p. 5-19, ago. 2007.

CARRANO, Paulo. Identidades culturais juvenis e escolas: arenas de possibilidades e conflitos. In. MOREIRA, Antonio Flávio; CANDAU, Vera Maria (Org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e prática pedagógica. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 182-210.

CHARLOT, Bernard (Org.). Os jovens e o saber: Perspectivas mundiais. Trad. Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2001.

DEL-CAMPO, Eduardo Roberto Alcântara; OLIVEIRA, Thales Cesar de. Estatuto da Criança e do Adolescente. São Paulo: Atlas, 2007.

DELORY-MOMBERGER, Chistine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Trad. Maria da Conceição Passeggi. São Paulo: Paulus, 2008.

ESPINHEIRA, Gey (Org.). Sociedade do medo: teoria método de análise sociológica em bairros populares de Salvador: juventude pobreza e violência. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERRARO, Alceu Ravanello. A escolarização no Brasil na ótica da exclusão. In: MARCHESI, Álvaro; GIL Carlos Hernández (Org.). Fracasso escolar: uma perspectiva multicultural. Porto Alegre: Artemed, 2004.

GOFFMAN, Eving. Estigma. Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

MARQUES, Maria Ornélia da Silveira. Escola noturna e jovens. Revista Brasileira de Educação, n. 6, p. 63- 75,

maio/jun./jul./ago. 1997.

PIMENTEL, Álamo. Escola, educação e gestão da vida: ponto de vista de educação e processos inclusivos, Florianópolis,

v. 3/4, p. 145-159, 2001.

SANTOS, Cesar Guimarães dos; GOMES, Carlos Alberto da Costa. O sonho e a realidade: sociedade e violência.

In: ESPINHEIRA, Gey (Org.). Sociedade do medo: teoria e método de análise sociológica em bairros populares

de Salvador: juventude pobreza e violência. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 101-116.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2007.

SILVA, Joilson Souza de. Porque uns e não outros: caminhada de jovens pobres para a universidade. Rio de

Janeiro: 7 letras, 2003.

SOUZA, Regina Magalhães de. Escola e juventude: o aprender a aprender. São Paulo: EDUC/Paulus, 2003.

ZALUAR, Alba. A Máquina e a revolta. As organizações populares e o significado da pobreza. 2. ed. São Paulo:

Brasiliense, 1994.

Como Citar

BORGHI, I. S. M.; SÁ, M. R. G. B. TRAMAS DAS RELAÇÕES NA ESCOLA:TRAJETÓRIAS ESCOLARES DE JOVENS DA EJA. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 21, n. 37, 2013. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/464. Acesso em: 24 abr. 2024.