A EXPERIÊNCIA DE ESTUDANTES AFRICANOS NO BRASIL

Autores

  • Maria Lúcia Rodrigues Müller Universidade Federal de Mato Grosso
  • Áurea Gardeni Sousa da Silva Universidade Federal de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p55-70

Palavras-chave:

Estudantes africanos, PEC G, Racismo, Discriminação racial

Resumo

Este artigo pretende relatar os aspectos referentes a situações de racismo e discriminação racial vivenciada pelos estudantes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) que ingressaram nas Instituições de Ensino Superior Brasileiras através do Programa Estudante de Convênio de Graduação (PEC-G).
Estabeleceu-se como objetivo neste trabalho compreender como é a experiência do estudante-convênio oriundo dos PALOP em duas capitais do Centro Oeste brasileiro, Brasília-DF, capital do país e Cuiabá-MT. Foram entrevistados alunos e ex-alunos da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Para a compreensão dos aspectos propostos as pesquisadoras recorreram às
entrevistas em profundidade e à observação participante. Os dados obtidos informam que as universidades brasileiras não dispõem de estrutura para receber os estudante dos PALOP. Ademais, ser africano e negro no Brasil é uma experiência que impõe muitas dificuldades. Professores e colegas de curso pouco ou nada sabem sobre a
realidade da África e reproduzem as percepções estereotipadas sobre o continente, circunstância incômoda para os estudantes. A prática das relações entre os alunos oriundos dos PALOP e os brasileiros é marcada também pelo racismo, discriminação e preconceito racial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Lúcia Rodrigues Müller, Universidade Federal de Mato Grosso

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Coordenadora
do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação da Universidade Federal de Mato Grosso.

Áurea Gardeni Sousa da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas
sobre Relações Raciais e Educação da Universidade Federal de Mato Grosso

Referências

ADICHIE, Chimamanda. O perigo da história única. 2009. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=EC-bh1YARsc>. Acesso em: 09/06/2014

ALVES, Iulo Almeida. ALVES, Tainá Almeida. O perigo da história única: diálogos com Chimamanda Adichie. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. bocc.unisinos.br/pag/alves-alves-o-perigo-da-historia-unica.pdf.

AMARAL, Joana de Barros. Atravessando o Atlântico: o Programa Estudante Convênio de Graduação e a cooperação educacional brasileira. Brasília-DF. 2013. 145 p. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação) – Centro de Estudos Avançados (CEAM), Universidade de Brasília (UnB), Brasília-DF, 2013.

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BECKER, Howard S. Métodos de pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Hucitec, 1999.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. PEC-G: Histórico do Programa. 2015. Disponível em: <http://www.dce.mre.gov.br/PEC/G/historico.php#tab3>. Acesso em: 20 ago. 2014.

FANNON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EdUFBA, 2008.

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. África, Portugal e Brasil: um novo Triângulo das Bermudas? Cadernos CERU, série 2, v. 23, n. 2, p. 51-62, dez. 2012.

HIRSCH, Olivia Nogueira. Hoje eu me sinto africana: processos de (re)construção de identidades em um grupo de estudantes cabo-verdianos no Rio de Janeiro. 2007. 220f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ), Rio de Janeiro, 2007.

JACCOUD, Luciana; BEGHIN, Nathalie. Desigualdades raciais no Brasil – um balanço da intervenção governamental. Brasília: IPEA, 2002.

KALY, Allain Pascal. O ser preto africano no “paraíso terrestre” brasileiro. Um sociólogo senegalês no Brasil. Lusotopie, p. 105-121, 2001. Disponível em: <http://www.lusotopie.sciencespobordeaux.fr/kaly.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2015.

MINAYO, Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MORAIS, Sara Santos; SILVA, Kelly Cristiane. Estudantes de países africanos de língua oficial portuguesa nas universidades brasileiras: tensões de sociabilidade e dinâmicas indenitárias. In: CONGRESSO LUSOAFROBRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 9., 2011, Salvador. Anais... Salvador: Universidade Federal da Bahia (UFBA), 2011.

MÜLLER, Maria Lúcia Rodrigues. et al. Educação e diferenças: os desafios da Lei 10.639/03. Cuiabá: EdUFMT, 2009.

NOSOLINI, Elber Eugéni O. Brasil e os países africanos de língua oficial portuguesa: aproximação, distanciamento e reaproximação (de 1975 aos dias atuais). 2004. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2004.

NUNES, Maria Madalena. AMI ÚNICO, SUMA BO: as construções de identidades entre estudantes guineenses, caboverdianos e são tomenses do Programa Estudante de Convênio de Graduação da Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá: EdUFMT, 2013.

OJIMA, Ricardo. et al. Migrações internacionais motivadas por estudo: uma análise sociodemográfica dos estudantes estrangeiros radicados no Brasil. Revista PerCursos, Florianópolis, v. 15, n. 28, p. 166-189. jan./jun. 2014.

OLIVEIRA, Verônica Macário de; MARTINS, Maria de Fátima; VASCONCELOS, Ana Cecília. Entrevistas “Em Profundidade” na pesquisa qualitativa em administração: Pistas teóricas e metodológicas. In: SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, LOGÍSTICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS – SIMPOI, 15., 2012, São Paulo. Anais... São Paulo: Fundação Getúlio Vargas (FGV), 2012. p. 1-12.

PAIXÃO, Marcelo J. P. Desenvolvimento humano e relações raciais. Rio de Janeiro: DP & A, 2003.

PENNA FILHO, Pio. A África contemporânea – do colonialismo aos dias atuais. Brasília, DF: Hinterlândia, 2009.

RUSHDIE, Salman. Pátrias imaginarias. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1994.

SARAIVA, José Flávio Sombra. África parceira do Brasil Atlântico: relações internacionais do Brasil e da África no início do século XXI. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

SUBUHANA, Carlos. Estudar no Brasil: imigração temporária de estudantes moçambicanos no Rio de Janeiro. 2005. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, 2005.

TEIXEIRA, Moema De Poli. Relações raciais na sociedade brasileira. 2. ed. rev. e ampl. Cuiabá: UAB/EdUFMT, 2010.

______. Relações raciais na sociedade brasileira. Cadernos Penesb – Periódico do Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira, Rio de Janeiro/Niterói, n. 7, p. 261-284, nov. 2006.

ULLRICH, Regina Danielle; CARRION, Rosinha Machado. A cooperação brasileira na área da educação nos PALOPS no período 2000-2012: principais atores e projetos. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS, 4., 2013, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/Minas), 2013.

VILHENA, Luís Rodolfo. Ensaios de Antropologia. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1997.

Publicado

2016-04-27

Como Citar

MÜLLER, M. L. R.; SILVA, Áurea G. S. da. A EXPERIÊNCIA DE ESTUDANTES AFRICANOS NO BRASIL. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 45, p. 55–70, 2016. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p55-70. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/2283. Acesso em: 12 jun. 2024.