Formação do professor-pesquisador

aprendizado que afirma a vida

Autores

  • Sônia Regina Luz Matos Universidade de Caxias do Sul (UCS)
  • Betina Schuler Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
  • Sandra Mara Corazza Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n43.p225-236

Palavras-chave:

Criação pedagógica. Formação de professores. Vontade criadora. Didática genealógica.

Resumo

O Programa Observatório da Educação (OBEDUC) faz parte da política nacional de formação continuada de professores. Por meio desta macropolítica, o Projeto Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida (PPGEDU/UFRGS) participa desse espaço político articulando a pesquisa entre a escola e a universidade. Tal articulação efetiva-se num dos recortes do funcionamento do Projeto. O presente texto apresenta a experiência da entrada do Projeto numa escola; o professor titular de uma das turmas desta escola ocupa o espaço de professor-pesquisador no grupo da universidade. Este professor-pesquisador elaborou o seu projeto de pesquisa, executando-o por meio de ateliers na escola. O projeto do professor foi composto pelos conceitos nietzscheanos da vontade criadora, que dispara a necessidade de produção de uma criação pedagógica. A partir deste território conceitual nos foi possível efetuar a perspectiva do “aprendizado que afirma a vida”. Então, mostraremos a produção da criação pedagógica que o professor-pesquisador denominou de didática genealógica. Essa didática foi experimentada nos ateliers, junto aos alunos de ensino fundamental em uma escola municipal de Porto Alegre–RS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sônia Regina Luz Matos, Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Doutora em Educação em cotutela Universidade Federal do Rio Grande do Sul/ Universidade de Lyon (UFRGS/Lyon 2). Professora do Centro de Filosofia e Educação da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Professora Colaboradora do Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Betina Schuler, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

Sandra Mara Corazza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DO NÍVEL SUPERIOR. CAPES. Edital nº038/2010/CAPES/INEP do Programa Observatório da Educação. Ministério da Educação, 2010. Disponível em:

<http://www.capes.gov.br/educacao-basica/observatorio-da-educacao>. Acesso em: 25 jul. 2012.

CORAZZA, Sandra Mara. A formação do professor-pesquisador e a criação pedagógica. Revista da FUNDARTE,Montenegro, RS, ano 11, n. 21, p. 13-16, 2011a.

______. Caóides. In: MONTEIRO, Silas (Org.). Anais do I Colóquio Nacional do Pensamento da Diferença:escrileitura em meio à vida. Cadernos de notas 2. Rastros de escrileituras. Cuiabá: EdUFMT, 2011b. p. 08-10.

______. Notas. In: HEUSER, Ester Maria Dreher (Org.). Caderno de notas 1: projeto, notas & ressonâncias.Cuiabá: EdUFMT, 2011c. p. 31-98.

______. Chave de leitura de um currículo. Método de dramatização de um currículo. Para pôr em evidência o caráter dramático de um currículo: debaixo de todo currículo há um drama. Projeto de pesquisa: Dramatização do infantil na comédia intelectual do currículo: método Valery & Deleuze. Projeto da bolsa produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPQ. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Educação. Documento apresentado ao CNPq em agosto

de 2010.

DALAROSA, Patrícia Cardinale. Escrileitura: um modo de ler-escrever em meio à vida. Observatório da Educação/CAPES/INEP. In: HEUSER, Ester Maria Dreher (Org.). Anais do I Colóquio Nacional do Pensamento da

Diferença: escrileitura em meio à vida. Caderno de notas 1: projeto, notas & ressonâncias. Cuiabá: EdUFMT, 2011. p. 15-30.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Trad. de Edmundo Fernandes Dias e Ruth Joffily Dias. Rio de Janeiro: Rio, 1976.

______. Conversações. (Trad. de Peter Pál Pelbart.) Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

______. Francis Bacon. Lógica da sensação. Trad. e Coordenação de Roberto Machadol. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

______. Spinoza et le problème de l’expression. Paris: Les Éditions de Minuit, 1998.

______. Qu’est-ce que l’acte de création? In: ______. Deux régimes de fous. Textes et entrétiens1975-1995. Paris: Minuit, 2003. p. 291-302.

DIAS, Rosa. A questão da criação para Nietzsche. Revista Viso – Cadernos de estética aplicada, Rio de Janeiro, n. 7, p. 3-11, jul./dez. 2009.

FEIL, Gabriel Sausen. Procedimento erótico, na formação, ensino, currículo. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MONTEIRO, Silas Borges. Ressonâncias. In: HEUSER, Ester Maria Dreher (Org.). Anais do I Colóquio Nacional do Pensamento da Diferença: escrileitura em meio à vida. Caderno de notas 1: projeto, notas & ressonâncias. Cuiabá: EdUFMT, 2011. p. 97-98.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra. Um livro para todos e para ninguém. Trad. de Mário da Silva. São Paulo: Círculo do Livro, s/d.

______. Genealogia da moral. Uma polêmica. Trad. de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

______. A vontade de poder. Trad. de Marcos Sinésio Pereira Fernandes e Francisco José Dias de Moraes. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

SCHULER, Betina. Uma didática menor: questão de entradas e saídas. In: MONTEIRO, Silas (Org.). Anais do I

Colóquio Nacional do Pensamento da Diferença: escrileitura em meio à vida. Cadernos de notas 2. Rastros de escrileituras. Cuiabá: EdUFMT, 2011. p. 105-124.

SCHULER, Betina; MATOS, Sônia Regina da Luz. Projeto de Pesquisa – A escrita, o cuidado de si e a estética da existência: uma experimentação genealógica no Ensino Fundamental. Observatório da Educação. Edital 038/2010. Fomento a estudos e pesquisa em educação – CAPES/INEP. Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS. 2012.

______; ______. Relatório final do Projeto de Pesquisa – A escrita, o cuidado de si e a estética da existência: uma experimentação genealógica no Ensino Fundamental. Programa Observatório da Educação - Edital 038/2010.Projeto Observatório da Educação CAPES/INEP. Observatório da Educação UFRGS/FACED. Projeto Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida. Porto Alegre, 2013.

VIEIRA, Elaine; VOLQUIND, Léa. Oficinas de ensino: o quê? Por quê? Como? 4. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

Publicado

2015-06-19

Como Citar

MATOS, S. R. L.; SCHULER, B.; CORAZZA, S. M. Formação do professor-pesquisador: aprendizado que afirma a vida. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 24, n. 43, p. 225–236, 2015. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n43.p225-236. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/1330. Acesso em: 19 jun. 2024.