Da Biopolítica à Necropolítica:

Veredas Decoloniais entre de Michel Foucault e Achille Mbembe

  • Renan Vieira de Santana Rocha Universidade Federal da Bahia (UFBA) https://orcid.org/0000-0003-4981-2854
  • Wesley Barbosa Correia Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA)
  • Jeane Saskya Campos Tavares Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
Palavras-chave: Biopolítica, Necropolítica, Decolonialidade, Michel Foucault, Joseph-Achille Mbembe

Resumo

O presente estudo, estruturado sob o desenho de uma Recensão Crítica, tem por objetivo compreender se a construção do conceito de necropolítica, tal e qual se apresenta na obra mbembiana, configura-se com um status dito decolonial diante do conceito de biopolítica, tal e qual se apresenta na obra foucaultiana. Das análises realizadas, com salvaguardas, foi possível constatar que o conceito mbembiano, deveras, assume um status dito decolonial diante do conceito foucaultiano, ao avançar este último e ponderar, mas de maneira mais diretiva, a realidade social, econômica e política do Eixo Sul Global.

Palavras-Chave: Biopolítica. Necropolítica. Decolonialidade. Michel Foucault. Joseph-Achille Mbembe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Vieira de Santana Rocha, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Psicólogo, Mestre e Doutorando em Saúde Coletiva (ISC/UFBA), Especialista em Estudos Étnicos e Raciais: Identidades e Representação (IFBA). Docente da Universidade Salvador (UNIFACS). E-mail: <renanvsr@gmail.com>. ORCID: <https://orcid.org/0000-0003-4981-2854>. CV Lattes: <http://lattes.cnpq.br/6703546267405322>.

Wesley Barbosa Correia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA)

Graduado em Letras Vernáculas (UEFS), Mestre em Literatura e Diversidade Cultural (UEFS), Doutor em Estudos Étnicos e Africanos (Pós-Afro/UFBA). Docente do Instituto Federal da Bahia (IFBA), junto ao Curso de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Raciais: Identidades e Representação (CPgEER). E-mail: <wesleybcorreia@yahoo.com.br>. CV Lattes: <http://lattes.cnpq.br/1956776979019240>.

Jeane Saskya Campos Tavares, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Psicóloga, Doutora em Saúde Pública (ISC/UFBA). Docente da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). E-mail: <jeanesctavares@gmail.com>. CV Lattes: <http://lattes.cnpq.br/7977356361994024>.

Referências

BERNARDINO-COSTA, Joaze; GROSFOGUEL, Ramón. Decolonialidade e Perspectiva Negra. Soc. Estado., Brasília, v. 31, n. 1, p. 15-24, 2016.

CANDIOTTO, César; D'ESPÍNDULA, Thereza Salomé. Biopoder e Racismo Político: Uma Análise a partir de Michel Foucault. R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, v.9, n.2, p.20-38, Jul./Dez. 2012.

CASTELO BRANCO, Guilherme. Racismo, Individualismo, Biopoder. Revista de Filosofia Aurora, Curitiba, v. 21, n. 28, p. 29-38, 2009.

FERREIRINHA, Isabella Maria Nunes; RAITZ, Tânia Regina. As Relações de Poder em Michel Foucault: Reflexões Teóricas. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 44, n. 2, p. 367-383, 2010.

FOUCAULT, Michel. O Nascimento da Biopolítica. Curso no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008. 496 p.

FOUCAULT, Michel. O Olho do Poder. In: FOUCAULT, Michel. (Org.). Microfísica do Poder, p. 209-227. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

JESUS, Leandro Santos Bulhões; SAMPAIO, Leonardo Grokoski. A História, a Pós-Colônia e os “Novos” Sujeitos na Produção dos Conhecimentos: Reflexões com Achille Mbembe. Cadernos de Ciências Sociais da UFRPE, Recife, v. 02, n. 11, p. 109-125, 2017.

MATA, Inocência. Localizar o “Pós-Colonial”. In: GARCIA, Flávia; MATA, Inocência (Orgs.). Pós-Colonial e Pós-Colonialismo: Propriedades e Apropriações de Sentido. Rio de Janeiro: Dialogarts, p. 32-50, 2016.

MATA, Inocência. Estudos Pós-Coloniais: Desconstruindo Genealogias Eurocêntricas. Civitas, Rev. Ciênc. Soc., Porto Alegre, v. 14, n. 01, p. 27-42, 2014.

MBEMBE, Joseph-Achille. Necropolítica. Arte & Ensaios, n. 32, p. 123-151, 2016.

MBEMBE, Joseph-Achille. A Universalidade de Frantz Fanon. Lisboa: ArtÁfrica, 2012.

MESQUITA, José Carlos Vilhena. Como se faz uma Recensão Crítica?Repositório da Universidade do Algarve (UALG), Algarve, Portugal, p. 01-04, 2009.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do Poder, Eurocentrismo e América Latina. Buenos Aires: CLACSO, p. 117-142, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para Além do Pensamento Abissal: das Linhas Globais a uma Ecologia de Saberes. Novos Estud. –CEBRAP, São Paulo, n. 79, p. 71-94, 2007.

SANTOS, Boaventura de Souza; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do Sul. Coimbra, Portugal: Almeidina, 2009. 532 p.

SCHNEIDER, Sérgio; SCHIMITT, Cláudia Job. O Uso do Método Comparativo nas Ciências Sociais. Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 09, p. 49-87, 1998.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se Negro: ou as Vicissitudes da Identidade do Negro Brasileiro em Ascensão Social. Rio de Janeiro: Edições Graal (Coleção Tendências), 1983.

WEISCHEDEL, Wilhelm. A Escada dos Fundos da Filosofia. 5 ed. São Paulo: Angra, 2006.

Publicado
2020-12-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 750
  • pdf downloads: 429
Como Citar
ROCHA, R. V. DE S.; CORREIA, W. B.; TAVARES, J. S. C. Da Biopolítica à Necropolítica:: Veredas Decoloniais entre de Michel Foucault e Achille Mbembe. Anãnsi: Revista de Filosofia, v. 1, n. 2, p. 27-48, 30 dez. 2020.