Ser e Linguagem

A estrutura ontológica da linguagem em Ser e Tempo

Autores

  • Daniel Conceição de Araújo Universidade Católica do Salvador

Palavras-chave:

Dasein, Ser, Linguagem, Compreensão, Sentido

Resumo

Nossa pesquisa tem por objetivo investigar a estrutura ontológica da linguagem na obra Ser e Tempo de Martin Heidegger. A linguagem em Ser e tempo é entendida como um modo de ser do Dasein. Este modo de ser apresenta-se na constituição fundamental do Dasein, a saber, ser-no-mundo. É no mundo que o Dasein se “apresenta” como possibilidade. A linguagem sendo um modo de desvelamento possui uma estrutura a qual é responsável por estruturar ôntico e ontologicamente a compreensão desta possibilidade. Logo, temos como hipótese que a estrutura ontológica da linguagem nos possibilita compreender e dar sentido as manifestações do ser do ente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Conceição de Araújo, Universidade Católica do Salvador

Licenciado em Filosofia pela Faculdade São Bento da Bahia. Pós-Graduando Latu senso em Filosofia Contemporânea pela Universidade Católica do Salvador.

Referências

ARISTÓTELES. Organon. Tradução de Pinharanda Gomes. Lisboa: Guimarães Editores, LDA, 1987.

CAVALCANTE, Márcia de Sá. Notas Explicativas. HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Tradução de Márcia de Sá Cavalcante. Parte I. Petrópolis: Vozes, 2002.

CHÂTELET, François, 1925. A invenção da razão. In: Uma história da razão: entrevista com Émile Noël / François Châtelet. Tradução de Lucy Magalhães; revista por Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

FERREIRA, A. M. (1999). A Linguagem Originária e o Silêncio. Discurso, (30), 101-130. Disponível em https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.1999.38029

HEIDEGGER, Martin. Conferências e escritos filosóficos / Martin Heidegger. Tradução, introduções e notas de Ernildo Stein. 2ª edição. São Paulo: Ed Abril Cultural, 1983. (Os Pensadores)

HEIDEGGER, Martin.. Fenomenologia e teologia (1927). In: Marcas do Caminho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

HEIDEGGER, Martin.. Ser e tempo. Tradução de Márcia de Sá Cavalcante. Parte I. Petrópolis: Vozes, 2002.

HEIDEGGER, Martin.. Ser e tempo. Tradução de Márcia de Sá Cavalcante. Parte II. Petrópolis: Vozes, 1989.

OLIVEIRA, Manfredo Araújo. Martin Heidegger Pragmática existencial. In: Reviravolta Linguístico-Pragmática na Filosofia Contemporânea. São Paulo: Loyola, 1996. (Coleção Filosofia)

PALMER, Richard E. Hermenêutica. Lisboa: Ed. 70, 1969.

PÖGGELER, Otto. A via do pensamento de Martin Heidegger. Tradução de Jorge Telles de Menezes. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

STEIN, Ernildo. Seis estudos sobre “Ser e Tempo”. Petrópolis, RJ: Vozes, 1988.

VATTIMO, Gianni. Introdução a Heidegger. Tradução de João Gama. 10° ed. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

Downloads

Publicado

2023-08-15

Como Citar

ARAÚJO, D. C. de. Ser e Linguagem: A estrutura ontológica da linguagem em Ser e Tempo. Anãnsi: Revista de Filosofia, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 34–51, 2023. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/anansi/article/view/18072. Acesso em: 22 fev. 2024.