Acervo da laje: celebrando a diversidade e a pluralidade das artes nas periferias

Autores

  • José Eduardo Ferreira Santos Universidade Federal da Bahia

Resumo

O presente artigo trata do Acervo da Laje, considerado o primeiro museu do Subúrbio Ferroviário de Salvador, fundado entre os anos de 2010-2011, caracterizado como Casa-Museu-Escola. Desde a  sua  fundação, o Acervo da Laje tem promovido as  artes das  periferias, provocando deslocamentos estéticos na cidade, no Brasil e no mundo a partir de curadorias horizontais e ocupando espaços em outras periferias, com o  projeto #Ocupalajes, assim como espaços centrais como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Museu de Arte Moderna da Bahia e recentemente o Sesc Pompeia, de São Paulo,  através de exposições e diálogos, provocando novos olhares sobre as artes periféricas, até então invisibilizadas na  história das artes no Brasil. Em um primeiro momento, traremos um histórico do Acervo da Laje e, em seguida, faremos uma atualização de suas ações, incluindo os projetos desenvolvidos nas periferias de Salvador, um recorte na memória, através da obra do escultor suburbano Otávio Bahia e, por fim, as recentes exposições realizadas em outros museus do Brasil e da Bahia, indicando como as artes produzidas nas periferias têm contribuído para a diversidade e a pluralidade das artes brasileiras, a partir das periferias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Eduardo Ferreira Santos, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Saúde Pública pela Universidade Federal da Bahia (2008) com pós-doutorado pelo Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011-2013). Autor de “Acervo da Laje: Memória Estética e Artística do Subúrbio Ferroviário de Salvador, Bahia” (2014, entre outras obras).

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

SANTOS, J. E. F. Acervo da laje: celebrando a diversidade e a pluralidade das artes nas periferias. Anãnsi: Revista de Filosofia, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 218–229, 2022. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/anansi/article/view/15687. Acesso em: 24 jul. 2024.