Ontologia do presente: o neoliberalismo como estratégia

  • Felipe Luiz Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”

Resumo

Resumo: No correr dos anos 1970, o filósofo francês Michel Foucault empreendeu uma curiosa análise do neoliberalismo em algumas de suas versões, especialmente em suas versões alemã, o ordoliberalismo, e estadunidense. Quando de então, o neoliberalismo apenas se ensejava no campo político global, embora já fosse realidade há meio século nos debates econômicos. Foucault analisa como o neoliberalismo se constituiu, primeiramente na Alemanha da República de Weimar, e como ele tomou forma em suas versões francesa e estadunidense. O artigo analisa o neoliberalismo estadunidense, tal como descrito pelo filósofo francês, enquanto uma estratégia histórica. Nas partes finais do artigo, debatemos com Perry Anderson, influente teórico marxista, que, em meados dos anos 1990, elaborou uma análise muito propagada, sobre os caminhos do neoliberalismo até então. O intuito desse debate é compreender quais diálogos podem ser estabelecidos entre a análise marxista do tema, na pena de Anderson, e aquela de Foucault.

 

Palavras-chave: Foucault; Genealogia; Neoliberalismo; Estratégia; América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Luiz, Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”

Bacharel e Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho” (UNESP/Marília).  

Publicado
2022-07-27
Métricas
  • Visualizações do Artigo 58
  • pdf downloads: 34
Como Citar
LUIZ, F. Ontologia do presente: o neoliberalismo como estratégia. Anãnsi: Revista de Filosofia, v. 3, n. 1, p. 181-192, 27 jul. 2022.