Raça, Corpo e Existência: uma leitura pós-colonial em Fanon

  • Rafael Borges da Silva Vitorio
Palavras-chave: Fanon, Negro, Pós-colonial, Representação, Corpo

Resumo

No presente artigo, descrevemos a análise de Frantz Fanon no clássico Pele negra, máscaras brancas sobre a posição psicoexistencial do negro, sua relação com o corpo, a subjetividade, o ser Outro e o mundo nos campos da cultura, da sociedade e das ciências. Apresentamos, em uma perspectiva pós-colonial, como a existência do sujeito negro se reflete a partir da crítica de Fanon, aos conceitos estabelecidos pelo Ocidente na Modernidade, como a representação do negro mistificado e as bases epistemológicas que reforçam estereótipos destinados a ele. Por meio de uma analítica do poder soberano do sistema colonial, demonstramos como a teoria fanoniana contribui para a corrente pós-colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AKOTIRENE, Carla. O que é interseccionalidade?Belo Horizonte: Letramento, 2018.APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África e a filosofia na cultura.Trad.Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contratempo, 1997.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do Outro como não-ser como fundamento do ser.São Paulo: FEUSP, 2005. (Tese de doutorado).

FANON, Frantz.Pele negra, máscaras brancas.Trad. de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.FANON, Frantz.Condenados da Terra. Tradução:Enilce Albergaria Rocha, Lucy Guimarães. Rio de Janeiro: Editora UFFJ, 2005.

FAUSTINO, Deivison Mendes. Por que Fanon? Por que agora?Frantz Fanon e os fanonismos no Brasil. São Carlos. 260 p. Tese de Doutorado em Sociologia. UFSCar. 2015.

FAUSTINO, Deivison Mendes. O pênis sem o falo: algumas reflexões sobre homens negros, masculinidades e racismo in:Blay, Eva Alterman. Feminismos e masculinidades: novos caminhos para enfrentar a violência contra a mulher. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Liv Sovik (org); Tradução de Adelaine La GuardiaResende. Belo Horizonte: Editora UFMG (Humanitas), 2009.

KILOMBA, Grada; RIBEIRO, Djamila. “O racismo é uma problemática branca” diz Grada Kilomba. Carta Capital, 30 mar. 2016. Disponível em: <https://www.cartacapital.com.br/ politica/201co-racismo-e-uma-problematica-branca201d-uma-conversa-com-grada-kilo mba>. Acesso em: 05 ago. 2019.

MBEMBE, Achille. Crítica da Razão Negra. Lisboa: Antígona, 2017.

SOUSA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social.Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

Publicado
2020-12-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 444
  • pdf downloads: 341
Como Citar
VITORIO, R. B. DA S. Raça, Corpo e Existência: uma leitura pós-colonial em Fanon. Anãnsi: Revista de Filosofia, v. 1, n. 2, p. 14-26, 30 dez. 2020.