Leitura e escrita na EJA, ressignificando o trabalho através de sequências didáticas

Alane Batista dos Santos, Renata Zucki

Resumo


Resumo: O trabalho com a leitura e a escrita é na verdade, o centro das práticas educativas em nossas escolas. No entanto, temos visto muitas vezes, o trabalho docente acabar por legitimar o fracasso do aluno à medida que não consegue “alcançar” o objetivo maior que é letrar, promovendo a integração social do aprendiz ao meio em que vive. Este artigo objetiva promover ações educativas que favoreçam o desenvolvimento da competência leitora e escrita nas turmas de EJA, pautada em sequência didática, nas experiências adquiridas ao longo de anos de exercício docente nesta modalidade de ensino e nos pressupostos teóricos observados em Bazerman (2007); Kleiman (1989). Para desenvolvermos este estudo partimos do trabalho com sequência didática proposto por Dolz e Schneuwly (2004) onde os autores realizam uma releitura do interacionismo sociodiscursivo proposto por Bronckart (1999) e que servirá para determinar a metodologia aqui utilizada. É importante lembrar que o domínio da leitura e da escrita torna-se requisito essencial para a aquisição de novas aprendizagens e é imprescindível para a inserção social desses sujeitos aprendizes no mundo letrado, pois se o aluno for capaz de reconhecer e produzir diferentes gêneros, ele aumentará seu nível de letramento e, consequentemente, irá dominar outros em diferentes situações comunicativas.

Palavra-­Chave: EJA. Gêneros Textuais. Sequência Didática.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grau Zero - Revista de Crítica Cultural
(Organizada pelo PÓS-CRÍTICA)

Publicação Semestral

ISSN 2318-7085

 

INDEXADORES

 

 

 


FOMENTO/FINANCIAMENTO