Adorno, Horkheimer e Huxley: leituras sobre nosso “admirável mundo novo”

Maria do Carmo dos Santos, Rafael Ademir Oliveira de Andrade

Resumo


O presente trabalho analisa o romanceAdmirável Mundo Novoe o ensaioAIndústria Cultural: O Iluminismo como Mistificação das Massas enquanto formas específicasde leitura de mundo. Pretendese apontar semelhanças entre os dois textos, das formas como autores da sociologia e da literatura apreenderam o espírito da época, pois os trabalhos foram redigidos em meados do século XX, tendo seus autores presenciado as grandes guerras mundiais, a quebra da bolsa de valores, as ditaduras nacionalistas e a vitória do capitalismo no ocidente enquanto forma hegemônica de construção de valores e sujeitos. Tanto o romance quanto o ensaio apresentam uma sociedade controlada por um intrínseco sistema de dominação das subjetividades, voltada para o consumo e apatia política, visando à estabilidade e coesão social  extrema, uma alternativa para a iminente destruição que apontava para o futuro da humanidade no século XX.


Palavras Chave: Indústria Cultural. Huxley. Sociologia. Literatura.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grau Zero - Revista de Crítica Cultural
(Organizada pelo PÓS-CRÍTICA)

Publicação Semestral

ISSN 2318-7085

 

INDEXADORES

 

 

 


FOMENTO/FINANCIAMENTO