REDES INTERCULTURALES Y PERSPECTIVAS DIALÓGICAS EN AFROAMÉRICA: LA INTERSECCIÓN BRASIL–COLOMBIA

Claudia Miranda, Fanny Milena Quiñones Riascos, Rejane Costa da Silva

Resumo


Este trabalho tem como objeto de análise a pesquisa acadêmica na perspectiva da decolonialidade e na intersecção Brasil-Colômbia. Inclui um olhar políticoepistemológico sobre o modo de atuar “casa afuera”, um conceito oposto ao de “casa adentro” introduzido pelo intelectual militante e fundador do movimento afroequatoriano Juan Garcia Salazar, no qual distingue o conhecimento próprio do conhecimento do exterior: a sabedoria “casa afuera”, como explica Catherine Walsh (2007) a respeito. É a partir do conhecimento de si que podemos pensar a
interculturalidade, colocando em diálogo saberes de si com outros conhecimentos.
Esta pesquisa defende um modo sistemático de integração social desde o ponto de vista da reciprocidade. O argumento relevante é “o fazer coletivo” que vai além das fronteiras impostas pela vida na universidade e nos grupos de pesquisa acadêmica.
O enfoque determinante da construção decolonial (WALSH, 2008) se traduz com um desafio investigativo “casa afuera”. Esta tese se alinha com os argumentos de Muniz Sodré (2010) sobre o reconhecimento de uma frequência e um ritmo circular, um desejo de movimento ou, melhor ainda, de circular em busca da diversidade e de outros conhecimentos, outras cosmovisões sobre a Diáspora Africana e saberes comutáveis. Assim foi possível propor um trabalho de internacionalização epistêmica
com o foco em uma realidade comum para sujeitos dessa Diáspora em um espaço/tempo Afro-americano, um contexto onde a modernidade e a colonialidade não são fenômenos sucessíveis no tempo senão simultâneos no espaço.


Palavras-chave


Outras intervenções. Redes interculturais. Pedagogias possíveis. Intersecções Brasil-Colômbia.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira. Brasília, DF, 2004.

______. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Brasília, DF, 2003.

______. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-raciais. Brasília, DF: MEC/ SECAD, 2006.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. La Hybris del Punto Cero: ciência, raza e ilustración en la Nueva Granada. Bogotá: Editorial Pontifícia Universidad Javeriana; Instituto de estudios sociales y Culturales Pensar, 2010.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. Oracy Nogueira (1917-1996): uma biografia intelectual. Boletim da ABA, v. 27, p. 26-29, 1997.

COLOMBIA. Ministério de Educación Nacional. Cátedra de Estudios Afrocolombianos: Lineamientos Curriculares. Bogotá: Maya, 2001.

______. Decreto nº 1122, de 18 de junio de 1998. Cátedra de Estudios Afrocolombianos. Bogotá, 1998.

______. Lei nº115, de 08 de febrero de 1994. Ley General de Educacíon. Bogotá, 1994.

______. Ley nº 70, de 31 de agosto de 1993. Ley de comunidades negras. Bogotá, 1993.

GOMES, Nilma Lino. Levantamento bibliográfico sobre relações raciais e educação: uma contribuição aos pesquisadores e pesquisadoras. In: MIRANDA, Claudia; AGUIAR, Francisco L. de; DI PIERRO, Maria Clara (Org.). Bibliografia básica sobre relações raciais e educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. p. 7-21.

JESUS, Rodrigo Ednilson de; GOMES, Nilma Lino. A “Constituição” da nação brasileira em disputa: o debate emtorno da (in) constitucionalidade das ações afirmativas. Tomo, Aracaju, n. 24, p. 85-107, jan./jun. 2014.

MIRANDA, Claudia. Afro-colombianidade e outras narrativas: a Educação Própria como agenda emergente. Revista Brasileira de Educação, v. 19, n. 59, p. 1053-1076, dez. 2014.

______. Narrativas subalternas e políticas de branquidade: o deslocamento de afrodescendentes como processo subversivo e as estratégias de negociação na academia. 2006. Tese (Doutorado em Educação) – Universiade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, 2006.

MIRANDA, Claudia; PIERRO, Maria Clara Di; AGUIAR, Francisco Lopes (Org.). Bibliografia Básica sobre relações raciais e educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

MUNANGA, Kabengele. Construção da identidade negra no contexto da globalização. Cadernos PENESB – Relações raciais e educação: temas contemporâneos, Niterói, p. 61-83, 2002.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito de marca: as relações raciais em Itapetininga. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

PROGRAMA DE LAS NACIONES UNIDAS PARA EL DESARROLLO – PNUD. Relatório Colombia. Los Afrocolombianos frente a los Objetivos de Desarrollo del Milenio. Colombia, 2015.

RIASCOS, Fanny Milena Quiñones. Tras los Hilos de Ananse. Nodos y nudos, v. 2, n. 19, p. 92-96, jul./dic. 2005.

QUIÑONEZ, Santiago Arboleda. Etnoeducación ambiental en el Pacifico Sur colombiano: politica de vida en contextos de muerte. In: LOUREIRO, Carlos Frederico B. et al (Org.). Pensamento Ambientalista numa sociedade em crise. Macaé, RJ: Editora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015. v. 1, p. 225-248.

SAID, Edward. Fora do Lugar. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SODRÉ, Muniz. Antropologia do espelho: uma teoria da comu-nicação linear e em rede. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

STRECK, Danilo. Pedagogias latinoamericanas: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

WALSH. Catherine. Interculturalidad crítica. Pedagogia de-colonial. In: AMYA VILLA, Wilmer; BONILLA GRUESO, Arturo (Org.). Diversidad, interculturalidad y construcción de ciudad. Bogotá: Universidad Pedagógica Nacional, 2008. p. 44-63.

______. Interculturalidad y colonialidad del poder: un pensamiento y posicionamiento “otro” desde la diferencia colonial. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGEL, Ramón (Org.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores/Universidad Central,

Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos/Pontifícia Univer-sidad Javeriana/Instituto Pensar, 2007a. p. 47-62.

______. Interculturalidad, colonialidad y educación. Revista Educación y Pedagogía, v. XIX, n. 48, Mayo/Agosto,p. 25-35, 2007b.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0