A DOCÊNCIA DA LÍNGUA ESTRANGEIRA: DA INCLUSÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR AOS PROCESSOS METODOLÓGICOS DE APRENDIZAGEM

José Geovânio Buenos Aires Martins

Resumo


Este artigo aborda a história da Língua Estrangeira no Brasil, e aponta a questão da crença depositada por professores de Línguas Estrangeiras em procedimentos metodológicos, em especial das Tecnologias Educacionais para o desenvolvimento da proficiência no Ensino Básico. O artigo, também mostra que nenhum recurso metodológico por mais sofisticado quer seja, é capaz de substituir o trabalho devidamente planejado do professor. Os procedimentos metodológicos utilizados para o ensino de idiomas na escola regular são mecanismos que o professor de Língua Estrangeira deve saber usar. Logo, o objetivo principal deste artigo se propõe a identificar, conhecer, analisar e organizar o percurso histórico da disciplina L2 em grade curricular na história da Educação no Brasil. Já, o objetivo secundário aponta os principais métodos utilizados para o ensino de Línguas Estrangeiras no Ensino Básico. Para que estes objetivos sejam alcançados fez-se uma pesquisa bibliográfica, pautada nos seguintes autores: Katia Bruginski Mulik, Ruth Rapaport e Vani Moreira Kenski.  As dificuldades para o desenvolvimento da pesquisa surgem logo no momento da seleção do material a ser utilizado, porque os trabalhos existentes sobre o tema em discussão ainda são poucos e, os que existem não dão conta de resolver crenças equivocadas sobre o uso desenfreado de procedimentos metodológicos, como garantia da proficiência.

Palavras-chave


História; Línguas Estrangeiras; Planejamento; Processos Metodológicos; Proficiência.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



BABEL: Revista Eletrônica de Línguas e Literaturas Estrangeiras - ISSN 2238-5754 | Departamento de Educação DEDC II - Universidade do Estado da Bahia