CUIDADOS PALIATIVOS: O PAPEL DO ASSISTENTE SOCIAL NA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

  • Cássia Costa Oliveira de Souza Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • José Gileá
Palavras-chave: Assistente social. Equipe multiprofissional. Cuidados paliativos. Família.

Resumo

O tema deste artigo é o papel do profissional do Serviço Social na equipe multiprofissional de Cuidados Paliativos. Os Cuidados Paliativos são indicados para promover a qualidade de vida para pacientes e seus familiares diante de doenças “fora possibilidade de cura”, ou seja, sem terapêutica curativa e para isso requer a intervenção de diferentes profissionais de saúde, uma equipe multiprofissional que tem o propósito de prevenir e aliviar a dor e o sofrimento físico, mental, psicossocial e espiritual. O Assistente Social é um dos profissionais que compõem essa equipe. Diante do exposto foi delimitado o seguinte objetivo: analisar e discutir as competências e o papel do Assistente Social na equipe multiprofissional de Cuidados Paliativos. A pesquisa realizada utilizou-se do método da revisão integrativa e cotejou as produções científicas que abordam o serviço social e os cuidados e paliativos nos últimos 15 anos, para a seleção dos artigos foram utilizados como descritores os termos: cuidados paliativos; serviço social; equipe multiprofissional; e família. Os artigos foram selecionados na base de dados da Scielo, no portal de periódicos da CAPES, em periódicos científicos e livros técnicos relacionados ao tema. Conclui-se que o Assistente Social, profissional da área de saúde, parte integrante da equipe de Cuidados Paliativos, tem importante função nas intervenções realizadas junto aos pacientes e seus familiares, bem como tem papel e competência estabelecidas, porém com definições frágeis devido aos diferentes modelos de intervenções sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cássia Costa Oliveira de Souza, Universidade do Estado da Bahia - UNEB
Aluna Especial do Mestrado Profissional em Saúde Coletiva – MEPISCO (UNEB). Graduada em Serviço Social (UCSAL). Especialista em Cuidados Paliativos. Comportamento organizacional e Logística de Recursos. Assistente social do Hospital Aliança.
José Gileá

Pós-Doutor em Políticas Públicas promotoras de Igualdades. Doutor em Desenvolvimento Regional e Urbano. Coordenador do Mestrado em Direito, Governança e Políticas Públicas da Universidade Salvador (UNIFACS). Professor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Pesquisador do Grupo de Estudos Regionais e Urbanos (Gerurb/CNPq). jose.gilea@unifacs.br.

Referências

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6022: informação e

documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação.

Rio de Janeiro, 2018.

ANCP – Academia Nacional de Cuidados Paliativos. Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. São Paulo: ANCP, 2014.

ANCP – Academia Nacional de Cuidados Paliativos. Panorama dos Cuidados Paliativos no Brasil. São Paulo: ANCP, 2018.

ANDRADE, Letícia. O papel do assistente social na equipe. In: CARVALHO, Ricardo Tavares.; PARSONS, Henrique Fonseca. Manual de Cuidados Paliativos ANCP. Porto Alegre, 2012, p 341-344.

ANDRADE, Letícia. Cuidados Paliativos e Serviço Social um exercício de coragem. Editora Setembro Holambra (SP), 2015.

BRASIL. Lei nº 3.252, de 27 de agosto de 1957. Regulamenta o exercício da profissão de Assistente Social. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 20701, 28 ago. 1957.

BRASIL. Decreto nº 994, de 15 de maio de 1962. Regulamenta a Lei nº 3.252, de 27 de agosto de 1957, que dispõe sobre o exercício da profissão de Assistente Social. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 5326, 15 mai. 1962.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE - CNS. Resolução nº 218, de 1997.

de 06 de março de 1997. Regulamentação das profissões de saúde. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 8932-33, 5 de mai. 1997.

CABRAL, Sheylla B.; DAROSCI, Manuela; MARQUES, Aline A.; SILVEIRA, Scheila Rodrigues. Cuidados Paliativos: reflexões acerca da atuação do Assistente Social em âmbito hospitalar. II Seminário Nacional de Serviço Social, Trabalho e Políticas Sociais. Universidade Federal de Santa Catarina. 2017.

CHAVES, Inês. Cuidados Paliativos ao Doente com SIDA. IX Congresso Virtual HIV/AIDS. Disponível em: http://siquant.pt/aidscongress/Modules/WebC_AidsCongress/CommunicationHTML.aspx?Mid=38&CommID=160. Acesso em: 16 dez 2019.

CFESS – CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Código de Ética Profissional do Assistente Social. Brasília: CFESS, 1993.

CFESS – CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução nº 383, de 29 de março de 1999. Caracteriza o assistente social como profissional de saúde. Brasília: CFESS, 1999.

CFESS – CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução nº 557, de 15 de setembro de 2009. Dispõe sobre a emissão de pareceres, laudos, opinião técnicas conjuntos entre o assistente social e outros profissionais. Brasília: CFESS, 2009.

CFESS – CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Parâmetros para atuação de assistentes sociais na política de saúde. Brasília: CFESS, 2010.

FLORIANI, Ciro Augusto. Moderno movimento hospice: fundamentos, crenças e contradições na busca da boa morte. 2009, 192 fl. Tese (Doutorado em Ciências na área de Saúde Pública), Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro, 2009.

FROSSARD, Andrea; RODRIGUES, Luciana; OLIVEIRA, Bruno; FERNANDES, Cristiane. Serviço Social e Oncologia: os Cuidados Paliativos em foco. In. E-Revista Facitec, Rio de Janeiro, v. 9, n.2, p. 1-9, ago. 2018. Disponível em: http://revistaadmmade.estacio.br/index.php/e- revistafacitec/article/viewFile/5508/47964976. Acesso em: 20 set 2019.

GUADALUPE, Sónia; SILVA, Ana Rita. Inserção profissional de Assistentes Sociais nos Cuidados Paliativos em Portugal. Serviço Social & Saúde, São Paulo, v. 14, n. 19, p. 57-90, São Paulo. 2015.

HERMES, Hélida Ribeiro; LAMARCA, Isabel Cristina Arruda. Cuidados paliativos uma abordagem das categorias profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 18, n.9, Rio de Janeiro, set. 2013.

HUGHES, Sean; FIRTH, Pam; OLIVIERE, David. Competências centrais para o serviço social em cuidados paliativos na Europa: White paper (“Livro Branco”) da European Association for Palliative Care (EAPC)-Parte 1. European Journal of Palliative Care, United Kingdom, v. 21, n.6, United Kingdom, nov./dez. 2014.

IAMAMOTO, Marilda Villela; CARVALHO, Raul. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: Esboço de uma interpretação histórica metodológica. São Paulo: Cortez, 1996.

MATSUMOTO, Dalva Yukie. Cuidados Paliativos: conceito, fundamentos e princípios. In: CARVALHO, Ricardo Tavares.; PARSONS, Henrique Fonseca. Manual de Cuidados Paliativos ANCP. Porto Alegre: ANCP, 2012, p. 23-30.

MEDEIROS, Thaize de Souza; SILVA, Olinda Rodrigues da; SARDINHA, Ana Lídia Brito. Acolhimento e acesso aos direitos sociais: assistência em cuidados paliativos oncológicos. Texto & Contextos, v. 14, n. 2, p. 403-415, Porto Alegre, 2015.

MELLO, Isabella Luccas; LIMA, Hilda Manoela de; SERRANO, Luzia Cristina de Almeida. Protocolo de Intervenção do Serviço Social em Cuidados Paliativos. RCI – Revista Científica Integrada, São Paulo, v 4, n. 2, p. 1-18, 2019.

MELLO, Michele Ribeiro Vieira; OLIVEIRA, Marcia Terezinha de; SOUZA, Waldir. Uma análise sobre os Cuidados Paliativos no Serviço Social. Caderno Humanidades em Perspectivas, v. 3, n. 2, p. 617-620, Curitiba, 2018.

OMS – Organização Mundial da Saúde. Relatório mundial de envelhecimento e saúde. Genebra: OMS, 2015. Disponível em: https://sbgg.org.br/wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf. Acesso em: 15 fev. 2020.

REVISTA SAÚDE. 10 grandes ameaças à saúde em 2019 segundo o OMS. Disponível em: https://saude.abril.com.br/medicina/10-grandes-ameacas-a-saude-em-2019-segundo-a-oms/. Acesso em: 29 nov. 2019.

SBGG – SOCIEDADE BRASILEIRA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA. Vamos falar de cuidados paliativos. Rio de Janeiro: SBGG, 2016.

SILVA, Tatiane Silva Camara da. Crianças e adolescentes em cuidados paliativos oncológicos: a intervenção do Serviço Social junto às suas famílias. Revista de Políticas Públicas, v. 14, n. 1, p. 139-146, jan./jun., São Luís, 2010.

SILVA, Mabel Gonçalves da; OLIVEIRA, Lúcia Conde de. Trabalho do Assistente Social em Equipes Multiprofissionais de Cuidados Paliativos. Sociedade em Debate, v. 23, n. 1, p. 437-466, jun., Pelotas, 2017.

SIMÃO, Andréa Branco; SANTOS, Fernanda dos; OLIVEIRA, Liane de Freitas; HILÁRIO, Rita Colen; CAETANO, Suélem Cabral. A atuação do Serviço Social junto a pacientes terminais: breves considerações. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 102, p. 352- 364, abr./jun. 2010.

ROMAN, Arlete Regina; FRIEDLANDER, Maria Romana. Revisão integrativa de pesquisa aplicada à enfermagem. Revista Cogitare Enfermagem, Curitiba, v.3, n.2, p.109-112, jul./dez. 1998.

SODRÉ, Francis. Alta Social: a atuação do assistente social em cuidados paliativos. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 82, jul. 2005.

TAVARES, Andrea Maria Oliveira; SOUSA, Debora Medeiros e SANTOS, Camila Teixeira. A prática do Assistente Social em Cuidados Paliativos. VIII Jornada Internacional de Políticas Públicas, São Luís, 2017.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. National cancer control programmers: policies and managerial guidelines. 2.ed. Geneva: WHO, 2002.

Publicado
2020-09-04
Métricas
  • Visualizações do Artigo 19
  • PDF downloads: 11