OS IMPACTOS DO MAL-ESTAR DOCENTE NA PRÁTICA E NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Resumo

Este estudo teve por objetivo analisar os impactos do mal-estar docente na prática e no processo de formação do professor na contemporaneidade. Partiu-se, então, da seguinte questão: De que modo o mal-estar docente pode influenciar a prática e a formação do professor no cenário atual? O traçado metodológico deste estudo compreende a abordagem qualitativa numa perspectiva fenomenológica, pautando-se na pesquisa-formação, fazendo uso da roda de conversa e do diário experiencial como dispositivo de coleta de dados. Nesse sentido, os dados produzidos foram analisados a partir da linha fenomenológica, ou seja, interpretados por meio da descrição dos eventos narrados pelos sujeitos participantes da pesquisa. Portanto, os resultados encontrados evidenciaram a necessidade dos espaços voltados para os diálogos entre os docentes e seus pares (a respeito das experiências), como também entre os docentes e a gestão, os alunos e as famílias, reafirmando a importância dos espaços de fala e escuta para ressignificação da prática e alívio do mal-estar. Apontou-se ainda a necessidade de políticas públicas de prevenção quanto ao adoecimento dos docentes e a profissionalização como requisito para garantia da formação e melhoria da prática pedagógica. 

Palavras-chave: Prática pedagógica. Formação de professores. Mal-estar docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorames Bispo dos Santos CRUZ, Universidade do Estado da Bahia

Mestra em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia. Formada em Administração pela Faculdade Castro Alves e licenciada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia, com especialização em Gestão de negócios e em Alfabetização e letramento. Servidora pública do município de Candeias/BA. Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Ludicidade, Formação e Tecnologias (UNEB/CNPq) e membro do Grupo de Pesquisa Profanação (IFBA/CNPq).

Mônica Gomes Albergaria Araújo Silva, Universidade do Estado da Bahia

Mestra em Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação-GESTEC pela Universidade do Estado da Bahia. Graduada em Licenciatura em Ciências Sociais e Bacharelado em Sociologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Especialista em Metodologia do Ensino, Pesquisa e Extensão pela Universidade do Estado da Bahia e Metodologia de Ensino para a Educação Profissional (UNEB). Tem experiência na Educação Básica (ensino médio). É membro do Grupo de Pesquisa Educação e Humanidades (HUMANITÁ/CNPq) e participa do Grupo de Estudos Avançados nas áreas de Epistemologia, Estética, Linguagem, Subjetividade, Educação e Currículo (UNEB). Professora da Secretária de Educação do Estado da Bahia (SEC).

Publicado
2022-05-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 18
  • PDF downloads: 11
Como Citar
CRUZ, L. B. dos S., & Silva, M. G. A. A. (2022). OS IMPACTOS DO MAL-ESTAR DOCENTE NA PRÁTICA E NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES. Scientia: Revista Científica Multidisciplinar, 7(2), 97-119. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/scientia/article/view/13067