PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA EM TEMPOS DE PANDEMIA DA COVID-19: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS SOBRE AS POSSIBILIDADES E OS DESAFIOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Palavras-chave: Promoção da Saúde Escolar, Educação Infantil, COVID-19, Atenção Primária em Saúde, Equipe Interdisciplinar de Saúde

Resumo

Objetivo: discutir sobre a implantação e execução do Programa de Saúde na Escola (PSE) no contexto pandêmico causado pela COVID-19. Métodos: através de relatos de experiência, de caráter descritivo, o estudo foi construído a partir de vivências de residentes do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva com Ênfase na Primeira Infância no Contexto do Zika Vírus, do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, apresentando propostas de intervenção por meio de recursos tecnológicos, com foco na educação infantil. O cenário das vivências foi uma Unidade de Saúde da Família, em Salvador, Bahia, Brasil e a implementação das ações do PSE foi feita em um Centro Municipal de Educação Infantil. Resultados: foram feitas 13 intervenções, sendo cinco delas executadas com os responsáveis e oito com as crianças. Conclusão: realizar as atividades propostas de maneira remota tem sido um grande desafio, pois a realidade de acesso e disponibilidade dos responsáveis para cada atividade é bastante diversa e depende de diferentes fatores. A pandemia trouxe impactos para a execução das ações do PSE, mas a continuidade dele depende da participação ativa e da corresponsabilização dos profissionais de saúde, educadores e as familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduarda Taine do Val Reis, Residente em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia - Brasil

Graduada em Fisioterapia.

Jéssica Vieira Santana Pereira, Residente em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia - Brasil

Graduada em Psicologia.

Taís Diane Cruz Conceição, Residente em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia - Brasil

Graduada em Fonoaudiologia

Renata Cardoso de Castro Tourinho, Odontóloga na Secretaria Municipal de Saúde do Salvador - Brasil

Graduada em Odontologia e Especialista em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia

Laisa Liane Paineiras-Domingos, Professora na Universidade Federal da Bahia - Brasil

Pós-Doutora e Doutora em Ciências pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Membro da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros.

Referências

World Health Organization. Global school health initiatives: achieving health and education outcomes: Report of a meeting, Bangkok, Thailand, 23–25 November 2015. [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2017 [Acessado 05 Ago 2021]. 32 p. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/259813/WHO-NMH-PND-17.7-eng.pdf.

Brasil. Decreto nº 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, e dá outras providências. Diário Oficial da União. 5 Dez 2007.

Vieira LS, Belisário SA. Intersetorialidade na promoção da saúde escolar: um estudo o Programa Saúde na Escola. SAÚDE DEBATE, Rio de Janeiro. 2018; 42:120-33.

Brasil. Ministério da Saúde. Portal da Saúde. Programa Saúde na Escola (PSE). Caderno do Gestor do PSE. 2015. Política Nacional de Atenção Básica. Saúde na Escola.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 1.055 de 25 de abril de 2017. Redefine as regras e os critérios para adesão ao Programa Saúde na Escola - PSE por estados, Distrito Federal e municípios e dispõe sobre o respectivo incentivo financeiro para custeio de ações. Diário Oficial da União. 25 Abr 2017.

Lana RM, Coelho FC, Gomes MFC, Cruz OG, Bastos LS, Vilela, DAM, Codeço CT. Emergência do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e o papel de uma vigilância nacional em saúde oportuna e efetiva. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2020; 36:1-5.

Instituto Ayrton Senna. Estudos sobre a educação e o impacto da pandemia do coronavírus [Internet]. Julho, 2020 [acessado 25 Ago 2021]. Disponível em: https://institutoayrtonsenna.org.br/pt-br/socioemocionais-para-crises/estudos-educacao-e-impacto-coronavirus.html.

World Bank Group. Políticas educacionais na pandemia da covid-19: o que o Brasil pode aprender com o resto do mundo? [Internet]. 2 abr. 2020 [citado em 10 Set 2021]. 4 p. Disponível em: https://pubdocs.worldbank.org/en/413781585870205922/pdf/POLITICAS-EDUCACIONAIS-NA-PANDEMIA-DA-COVID-19-O-QUE-O-BRASIL-PODE-APRENDER-COM-O-RESTO-DO-MUNDO.pdf.

Bahia. Decreto nº 19.529, de 16 de março de 2020. Regulamenta, no Estado da Bahia, as medidas temporárias para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus. Diário Oficial do Estado. 16 Mar 2020.

Brasil. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. MEC autoriza ensino a distância em cursos presenciais, Diário Oficial da União. 18 Mar 2020.

Magalhães RCS. Pandemia de covid-19, ensino remoto e a potencialização das desigualdades educacionais. Hist. cienc. saúde-Manguinhos [Internet]. 2021; 28(3):1-5.

Silva AA, Silva NS, Barbosa VA, Henrique MR, Baptista, JA. A Utilização da Matriz SWOT como Ferramenta Estratégica – um Estudo de Caso em uma Escola de Idioma de São Paulo. In: VII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2005, São Paulo, 2005. p. 1-11.

Moura ABF, Lima MGSB. A Reinvenção da Roda: Roda de Conversa, um Instrumento Metodológico Possível. Interfaces da Educ [Internet]. 2014; 5:24-35.

Dias ESM, Rodrigues ILA, Miranda HR, Corrêa, JA. Roda de conversa como estratégia de educação em saúde para a enfermagem. Rev Fund Care Online [Internet]. abr/jun 2018; 10:379-84.

Abreu A, Almeida A, Roberto A, Oliveira B, Dacio Í, Maia J, Santos J, Silva J, Ferreira, M, Assis R, Pereira S, Veras V, Abreu W, OLiveira D. A ludicidade no desenvolvimento da criança: Uma experiência de iniciação científica. Margens, [S.l.]. 2014; 8:297-312.

Vigotski LS. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: Vigotski LS, Luria AR, Leontiev AN. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11th ed. São Paulo: Ícone; 1988. 06,; p. 103-117.

Kishimoto TM. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 8 ed. São Paulo: Cortez editora, 1994. 234 p.

Brasil. Tecnologia da informação e da comunicação – Brasil. I. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC domicílios 2018. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2019.

Nascimento PM, Ramos DL, Melo AAS, Castioni R. Acesso domiciliar à internet e ensino remoto durante a pandemia [Internet]. Norma Técnica Nº88. Brasília: Ipea, 2020 [Acessado em 05 Ago 2021]. 16 p. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/10228. Acesso em: 23 dez. 2020.

Gomide M, et al. Fortalezas, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças (Matriz FOFA) de uma Comunidade Ribeirinha Sul-Amazônica na perspectiva da Análise de Redes Sociais: aportes para a Atenção Básica à Saúde. Cadernos Saúde Coletiva [online]. 2015, v. 23, n. 3 [Acessado 22 outubro 2021], pp. 222-230. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1414-462X201500030089>. ISSN 2358-291X. https://doi.org/10.1590/1414-462X201500030089.

Bezerra RKC, Souza DLA, Silva JCS, Pinto NS. Territorialização como Estratégia de Transformação no Território. Cadernos Esp. Ceará [Internet]. 2020; 14:84-8.

Carvalho KN, Zanin L, Flório FM. Percepção de escolares e enfermeiros quanto às práticas educativas do programa saúde na escola. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 2020; 15:1-12.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Publicado
2022-07-12
Métricas
  • Visualizações do Artigo 310
  • PDF downloads: 198
Como Citar
Reis, E. T. do V., Pereira, J. V. S., Conceição, T. D. C., Tourinho, R. C. de C., & Paineiras-Domingos, L. L. (2022). PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA EM TEMPOS DE PANDEMIA DA COVID-19: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS SOBRE AS POSSIBILIDADES E OS DESAFIOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 3, e13246. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/13246
Seção
Relato de Experiência