A inquietação docente reverbera em luta constante e esperança

Entrevista com Elizia de Souza Alcântara

Autores

  • Edmario Nascimento da Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v5n1.p155

Palavras-chave:

Entrevista, Elizia de Souza Alcântara, Inquietação

Resumo

Inquietante e defensora da vida, com enorme senso de justiça e respeito pelo ser humano, Elízia Alcântara desde cedo sentiu o coração bater em compasso composto pela temática da educação. Ainda em sua primeira juventude, sentiu o impulso para pensar com agudeza as conexões entre a teoria educacional e as realidades para as quais eram projetadas. Já no 2º grau, em suas aulas de didática, percebia o descompasso entre o que preconizavam as leis e a forma como a escola se apresentava para os alunos. A partir de então, estimulada pela curiosidade e impulsionada pela recém descoberta relação de afeto e responsabilidade com a educação, mergulhou com vontade não só nos livros, mas também na poesia que a cercava em forma de contatos humanos singulares tanto em sala de aula como na luta por uma educação para a vida e a cidadania...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edmario Nascimento da Silva, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural da UNEB, Alagoinhas-BA, pesquisa “Bens Culturais e Economia Criativa: da mercadorização à indignação no contexto das editoras. Especialista em Política e Estratégia pela UNEB, Camaçari. Graduado em História. Bacharel em Direito. Advogado.

Publicado

2017-04-12

Como Citar

SILVA, E. N. da. A inquietação docente reverbera em luta constante e esperança: Entrevista com Elizia de Souza Alcântara. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 5, n. 1, p. 155–163, 2017. DOI: 10.30620/gz.v5n1.p155. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/3498. Acesso em: 28 fev. 2024.