O tempo, a memória e a história: ou sobre como extrair uma concepção de tempo para a teoria da História em Marcel Proust

Autores

  • Carlos Nássaro Araújo da Paixão Instituto Federal Baiano - IF/Guanambi

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v2n2.p137

Palavras-chave:

História, Memória, Tempo, Proust

Resumo

O presente artigo se propõe a estabelecer uma discussão epistemológica sobre a questão do tempo para a teoria da História. Considerado um substrato fundamental para a construção e a concepção do conhecimento historiográfico, este nem sempre recebeu a atenção necessária. Para tanto, buscar-se-á adentrar nas discussões sobre o estabelecimento das ciências sociais entre o final do Século XIX e as primeiras décadas do Século XX, destacando a problemática temporal levantada pela Filosofia da Intuição de Henri Bergson, a Sociologia da Memória de Maurice Halbwachs e a Literatura de Marcel Proust.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Nássaro Araújo da Paixão, Instituto Federal Baiano - IF/Guanambi

Professor do IF-BAIANO/Guanambi. Doutorando em Memória: Linguagem e Sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) Vitória da Conquista (BA). Mestre em História pela UNEB/Campus V. Licenciado em História pela UNEB/Campus II. Financiado pela FAPESB. Integrante do Grupo de Pesquisa Política e Sociedade no Brasil (GEPS), vinculado ao Museu Pedagógico da UESB e do Grupo de Pesquisa Cul-tura, Memória e Desenvolvimento (CMD).

Referências

BERGSON, Henri. Matéria e Memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BERGSON, Henri. Duração e Simultaneidade: a propósito da teoria de Einstein. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BLOCH, Marc. Apologia da História, ou o ofício do Historiador. Rio de Janeiro: J. Zahar Ed., 2001.

DELEUZE, Gilles. Proust e os Signos. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

DELEUZE, Gilles. Bergsonismo. São Paulo: Editora 34, 1999.

BRAUDEL, Fernand. Escritos sobre a História. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

FEBVRE, Lucien. Combates pela História. Lisboa: Editorial Presença, 1989.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

HALBWACHS, Maurice. Los Marcos Sociales de la memoria. Postfacio de Gérard Namer. Rubí (Barcelona): Anthropos Editorial; Concepcion: Universidade de la Concepcion: Caracas: Universidade Central de Venezuelas. 2004.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006.

KUHN, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2006.

PROUST, Marcel. O Tempo Redescoberto. 10ª ed. São Paulo: Globo, 1992. (Em busca do Tempo Perdido. V. 7).

RICOUER, Paul. A História, a Memória, o Esquecimento. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2007.

Publicado

2017-02-13

Como Citar

PAIXÃO, C. N. A. da. O tempo, a memória e a história: ou sobre como extrair uma concepção de tempo para a teoria da História em Marcel Proust. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 2, n. 2, p. 137–166, 2017. DOI: 10.30620/gz.v2n2.p137. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/3270. Acesso em: 19 jun. 2024.