Discurso e poder: uma reflexão acerca da importância das contribuições filosóficas e discursivas para repensar questões atuais relativas à identidade da literatura

Autores

  • Pâmela C. Damasceno dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v1n1.p165

Palavras-chave:

Saber, Poder, Discurso

Resumo

 Em face do império de uma rede de práticas discursivas, em uma conjuntura social na qual os discursos se erigem revestidos por ‘poderes’ e ‘perigos’, o conhecimento perderia sua legitimidade se destituído da áurea de poder que, inevitavelmente, o atravessa. Inscrito nesse contexto, o lócus do verdadeiro, tão somente, refrata uma perspectiva gerada pelos discursos – os enunciados vigentes delimitam seus contornos a partir de construções historicamente instituídas e legitimadas, saberes cristalizados que, sustentados por um sistema de instituições, fundamentam as práticas sociais. Os efeitos desse dispositivo de saber discursivo se projetam sobre o homem, configurando uma verdadeira violência discursiva, impondo-lhe mecanismos de interdição, coerção e assujeitamento às regras de controle hegemônicas. Tendo em vista as considerações aludidas, o presente trabalho propõe-se a repensar questões relativas às práticas críticas na academia, ampliando um posicionamento estratégicocrítico e reflexivo para com os sistemas literários em curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pâmela C. Damasceno dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Mestranda em Literatura Comparada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, graduada em Licenciatura em Letras Português-Espanhol pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011). Atualmente, desenvolve estudos na área de Literatura e Interdisciplinaridade, esboçando os contornos que a Literatura entretém com a Filosofia.

Referências

CARVALHAL, Tania. O próprio e o alheio: ensaios de literatura comparada, São Leopoldo: Unisinos, 2003.

CARVALHAL, Tania. 4ed. Literatura Comparada. São Paulo: Ática, 1993.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê? São Paulo: Ática, 2009.

DERRIDA, Jacques. A escrita e a diferença. São Paulo: Perspectiva, 1995.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Petrópolis: Vozes, 1972.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo, Edições Loyola, 1996.

SCHMIDT, Rita Terezinha. Para quê literatura? Reflexões sobre conhecimento, reconhecimento e educação. São Paulo, v.51. n°1, p.173­189, jan./jun.2011.

Publicado

2016-04-11

Como Citar

SANTOS, P. C. D. dos. Discurso e poder: uma reflexão acerca da importância das contribuições filosóficas e discursivas para repensar questões atuais relativas à identidade da literatura. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 1, n. 1, p. 165–179, 2016. DOI: 10.30620/gz.v1n1.p165. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/2244. Acesso em: 17 abr. 2024.