O fuxico de Janaína, Nós de Axé, Meu avô é um tata

o imaginário afro-brasileiro em três obras da literatura infanto-juvenil contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v10n1.p363

Palavras-chave:

Resenha, Janaína Figueiredo, Literatura infanto-juvenil

Resumo

A proposta fundamental desta resenha é apresentar e comentar as três obras brasileiras de literatura infanto-juvenil de autoria de Janaína Figueiredo. Na primeira delas, O fuxico de Janaína, há também o coautor Tata Kajalacy. No candomblé angola, tata é um termo utilizado para distinguir um homem com maturidade espiritual assim como o líder religioso de um terreiro. Kajalacy é o nome sagrado de Ataualpa de Figueiredo Neto, pai biológico de Janaina de Figueiredo, fundador e líder religioso do Terreiro Ilê N’Zambi, sediado em Caraguatatuba, São Paulo. Janaína de Figueiredo, além de escritora, é iniciada no candomblé angola e doutora em Antropologia pela Pontífica Universidade Católica (PUC) de São Paulo. No seu doutorado, defendeu tese sobre a memória do candomblé angola em Santos, São Paulo. Atualmente é pós-doutoranda em Antropologia na Universidade de São Paulo e se dedica à pesquisa sobre populações africanas e afro-brasileiras...

[Recebido em: 12 abr. 2022 – Aceito em: 15 set. 2022]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ari Lima, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal da Bahia (1990), mestrado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995) e doutorado em Antropologia Social pela Universidade de Brasília (2003). Atualmente é Professor Titular Pleno e Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Coordenador do Núcleo das Tradições Orais e Patrimônio Imaterial (NUTOPIA/ Campus II/ UNEB). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia das Populações Afro-Brasileiras, atuando nos seguintes temas: relações raciais, patrimônio imaterial, música, culturas populares e negras. Tem atuado como pesquisador ou consultor em vários projetos de extensão sobre culturas populares e negras, tal como, o inventário sobre o samba de roda do Recôncavo baiano encomendado pelo IPHAN (2005) e mais recentemente o Projeto Cantador de Chula que registrou a história e o canto de mestres cantadores do samba chula na Bahia. Compõe a equipe de pesquisadores do Instituto Nacional de Inclusão Étnica e Racial no Ensino Superior e na Pesquisa financiado pelo CNPq e MCT e é membro do GT de Literatura Oral e Popular da ANPOLL desde o ano de 2012. Estágio Pós-doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) / Institut des Mondes Africains (IMAF).

Referências

FIGUEIREDO, Janaína de e KAJALACY, Tata. O fuxico de Janaína. Ilustrações de Paulica Santos. Belo Horizonte: Aletria, 2015.

FIGUEIREDO, Janaína de. Nós de axé. Ilustrações de Paulica Santos. Belo Horizonte: Aletria, 2018.

FIGUEIREDO, Janaína de. Meu avô é um tata. Ilustrações de Bruna Lubambo. Rio de Janeiro: Pallas, 2018.

Publicado

2022-11-03

Como Citar

ALVES, A. de L. O fuxico de Janaína, Nós de Axé, Meu avô é um tata: o imaginário afro-brasileiro em três obras da literatura infanto-juvenil contemporânea. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 10, n. 1, p. 363–369, 2022. DOI: 10.30620/gz.v10n1.p363. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/13999. Acesso em: 27 maio. 2024.