Dualidade sacrificial

abandono social e violência em Marcelino Freire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v10n1.p45

Palavras-chave:

Marcelino Freire, Literatura contemporânea, Literatura brasileira, Violência, Abandono social

Resumo

O presente trabalho pretende abordar a dualidade existente na contística de Marcelino Freire, autor de prestígio da literatura brasileira contemporânea. Partindo da análise do abandono social manifestado em Freire junto à questão da violência, há a análise de tais aspectos em dois de seus contos, “Troca de alianças” e “Nação Zumbi”, a partir da ideia do sacrifício voluntário, extraída do pensamento de René Girard. Essa relação dupla será avaliada por um ponto de vista complementar, o abandono e a violência constroem um diálogo que modifica ambos os aspectos e caracteriza esteticamente a construção dos contos. Sendo constantes na obra a ser debatida, personagens sem perspectivas de melhoras e submetidos às mais diversas práticas marcam fortemente o desamparo político vivido. Esses sujeitos ganham voz e se manifestam, marcando a realidade marginal de violência vivenciada, que deve ser analisada.

[Recebido em: 30 mar. 2022 – Aceito em: 11 out. 2022]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rubens Fernandes Corgozinho Júnior, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e graduado em Letras – Licenciatura em Língua Portuguesa pela mesma instituição. Possui experiência nas áreas de literatura comparada e literatura brasileira. É participante do grupo de pesquisa Espaços da Literatura Contemporânea (UFMG). Atualmente desenvolve projeto de pesquisa centrado na obra de Rubem Fonseca em que se destacam reflexões sobre violência, moralismo e marginalidade.

Referências

BARBOSA, Sidney; PEREIRA, Marcio Roberto. Angu de Sangue: Mensagens e Imagens sobre o Desamparo Social. In: Anais do 17o. Congresso de Leitura do Brasil-COLE, p. 1-5, 2009.

CANDIDO, Antonio. Crítica e sociologia. In: Literatura e sociedade. 13. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, p. 13-25, 2014.

CARVALHO, José Murilo de. Brasileiro: cidadão? In: Revista do legislativo. Belo Horizonte: Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, n. 23, p. 32-39, jul./set. 1998.

CURY, Maria Zilda Ferreira. Novas geografias narrativas. In: Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 7-17, dez. 2007.

CURY, Maria Zilda Ferreira; ALIS, Gleidston. Marcelino Freire: ação política pela palavra. In: Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 25, p. 120–148, jan. /jun. 2016.

FREIRE, Marcelino. “Troca de alianças”. In: Angu de Sangue. 2. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, p. 63-65, 2005.

FREIRE, Marcelino. “Nação Zumbi”. In: Contos negreiros. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, p. 53-55, 2014.

GIRARD, René. A violência e o sagrado. Trad. Martha Conceição Gambini. São Paulo: Paz e terra; UNESP, 1990.

OLIVEIRA, Acauam Silvério de. O evangelho marginal dos Racionais MC’s. In: Sobrevivendo no Inferno. São Paulo: Cia das Letras, p. 19-37, 2018.

PIGLIA, Ricardo. Teses sobre o conto. In: Formas Breves. Trad. José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Cia das Letras, p. 87-94, 2004.

WILDE, Oscar. A alma do homem sob o socialismo. Porto Alegre: L&PM editores, 1983.

Publicado

2022-11-03

Como Citar

CORGOZINHO JÚNIOR, R. F. Dualidade sacrificial: abandono social e violência em Marcelino Freire. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 10, n. 1, p. 45–62, 2022. DOI: 10.30620/gz.v10n1.p45. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/13915. Acesso em: 28 maio. 2024.