Uma leitura de A Ninfa do Teatro Amazonas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v10n1.p345

Palavras-chave:

Estranho, Alegoria, Belle époque amazônica

Resumo

Neste trabalho será analisado o conto A ninfa do teatro Amazonas, presente em A Cidade Ilhada (2009). O recorte deste trabalho será o estranho e a alegoria como possibilidade de leitura crítica do imaginário da belle époque. O conto se apresenta no debate dos estudos culturais e históricos. Sem abandonar o a questão histórica e cultural, o referido conto faz uma inserção no universo do estranho que lembra os contos de ambiência noturna e atmosfera de suspense de Poe. Como ferramentas teóricas serão utilizados os estudos de Geraldo Mártires Coelho sobre a belle époque amazônica, os estudos de Todorov sobre o estranho e a alegoria e os estudos de Achille Mbembe sobre necropolítica.

[Recebido em: 26 jan. 2022 – Aceito em: 26 set. 2022]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Cavalcante Fabem, Universidade Federal do Pará - UFPA/SEDUC

Possui graduação em Letras, Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Pará (2008). É mestre pelo programa de pós-graduação em Letras (Poslet), pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Estado do Pará. Exerce a função de Educadora na área de Letras. Trabalha na secretaria estadual de educação (Seduc).

Gilson Penalva, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - UNIFESSPA

Professor Adjunto da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutor em Letras pela Universidade Federal da Paraíba.

Referências

COELHO, G. M. Na Belém da belle époque da borracha (1890-1910): dirigindo olhares. Escritos (Fundação Casa de Rui Barbosa), Rio de Janeiro, v. 5, p. 141-168, 2011. Disponível em: http://www.casaruibarbosa.gov.br/escritos/numero05/FCRB_Escritos_5_8_Geraldo_Martires_Coelho.pdf. Acesso em: 5 dez 2021.

HACQUARD, G. Dicionário da Mitologia Grega e Romana. Trad. Maria Helena Trindade Lopes. Rio Tinto: Edições ASA, 1996.

HATOUM, M. A cidade ilhada: contos. São Paulo: Cia das Letras, 2009.

HATOUM, M.. Cinzas do Norte. São Paulo. Cia das Letras. 2010.

LEXIKON, H. Dicionário de símbolos. Trad. Erlon José Paschoal. São Paulo: Nova Cultural, 1978.

MBEMBE, A. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Trad. Renata Santini. São Paulo: N-1 edições, 2018.

TODOROV, T. Introdução à Literatura Fantástica. Trad. Maria Clara Correa Castello. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

STOCO, S. L. Identidade, política e rios do Alto-Amazonas: o pano de boca de Chrispim do Amaral no Teatro Amazonas. In: Anais do XXIII Encontro Regional de História da ANPUH-SP2016, São Paulo. ISBN: 978-85-68545-01-0. Disponível em: http://www.encontro2016.sp.anpuh.org/resources/anais/48/1475258322_ARQUIVO_TEXTOANPUH2016.pdf. Acesso em: 26 jan. 2022.

Publicado

2022-11-03

Como Citar

FABEM, T. C.; PENALVA, G. Uma leitura de A Ninfa do Teatro Amazonas. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 10, n. 1, p. 345–361, 2022. DOI: 10.30620/gz.v10n1.p345. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/13565. Acesso em: 29 maio. 2024.