As sexualidades dissidentes na construção da poesia de Araripe Coutinho

  • Jaime Santana Neto Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Resumo

Subestimado em Sergipe, o poeta Araripe Coutinho tornou-se um sujeito fora-de-centro ao produzir obras estranhadas de sentidos e potencializadas de subjetividades que transgridam a heteronormatividade e o patriarcado. Este trabalho visa apontar significados referentes às sexualidades dissidentes na literatura de Coutinho, considerando o primeiro livro “Amor Sem Rosto”, publicado em 1989. A pesquisa se debruça nos textos do autor que busca criar a si, usando linguagens do cotidiano que movem as relações afetivas e se constituem em signos que operam a poética queer do poeta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaime Santana Neto, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

é jornalista há 16 anos, com direcionamento de escrita voltado ao cenário sociocultural, e com dedicação às assessorias de comunicação pública e privada. Recém-formado em Nutrição, vem se dedicando às especializações nas áreas de Clínica, Estética e Educação. É mestrando no Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural pela UNEB, onde se dedica a pesquisar a vida e a obra do poeta Araripe Coutinho.

Publicado
2021-12-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 12
  • PDF downloads: 24