INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL: EXPERIÊNCIA EM UMA ORGANIZAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

Experiência em uma organização de Ensino Superior

  • Platini Gomes Fonseca Professor do Prog. de Mestrado Profissional em Adm. Pública (Profiap/Univasf)
  • Cordeiro Neto Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)
  • Morjane Armstrong Santos de Miranda Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Ernani Marques dos Santos Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Palavras-chave: Inovação organizacional., Sistema de apoio à decisão., Inovação no serviço público.

Resumo

O caso de ensino relata a experiência da Universidade Valer que adotou uma inovação metodológica nas compras públicas, buscando, dentre outros objetivos: proporcionar maior vinculação do orçamento disponível às ações finalísticas da Universidade e oferecer, aos colegiados acadêmicos, de forma transparente e pública, a possibilidade do gerenciamento direto de créditos orçamentários para a realização de compras que permitam atender demandas setoriais, conforme priorização por eles estabelecida. Para isso, desenvolveu um Sistema de Apoio a Decisão (SAD) a fim de auxiliar as mudanças organizacionais decorrentes da implantação da metodologia nas compras públicas da Universidade. Dessa forma, o objetivo do relato de ensino é estimular o debate sobre inovação nos ambientes de aprendizagem, enfatizando as inovações organizacionais a partir do uso da tecnologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Morjane Armstrong Santos de Miranda, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Bacharel em Secretariado Executivo (UFBA, 2007); bacharel em Administração (Estácio, 2017), tendo gerado como TCC artigo sobre processo de inovação em empresas de tecnologia (publicado no ENANPAD 2017); especialista em Relações Internacionais (UFBA, 2009); mestre em Administração (UFBA, 2013), cujo tema da dissertação versou sobre interação universidade - empresa - governo para inovação (artigo publicado em revista); doutora em Administração (UFBA, 2018), tendo como tese a investigação da gestão da informação no processo de inovação em MPES de serviço de tecnologia (artigo publicado em evento internacional, nacional e revista). Atualmente é docente em ensino superior nas áreas de Tecnologia, Inovação e Competitividade (e correlatas), pesquisadora do Grupo de Pesquisa NACIT - Núcleo de Política e Administração em Ciência e Tecnologia (UFBA) e do Grupo de Pesquisa Gestão, Inovação e Desenvolvimento (UFOB); e consultora/instrutora em Gestão da Inovação e Planejamento Estratégico (de negócios, social e intraempreendedor). Áreas de interesse: Assessoria e Consultoria, (intra) Empreendedorismo, Inovação, Planejamento Estratégico (especialmente de MPMEs), Inteligência Coletiva e Criativa, Gestão Organizacional (colaborativa, de processos, de qualidade, de projetos, de inovação, do conhecimento e dos indivíduos), Tecnologias de Informação e Comunicação, Indústria 4.0, Sistemas de Inovação, Triple Helix, Design Thinking.

Referências

ARAUJO, P. J. G. CORDEIRO NETO, J. R. Tecnologia da informação como ferramenta na gestão por processos: um estudo no processo de compras públicas da Univasf. XVIII SEMEAD Seminários em Administração, novembro de 2015.

AFUAH, A. Innovation management: strategies, implementation and profits. New York: Oxford University Press. 2003.

BEIRA, E. Inovação e tecnologia: periferias e políticas de desenvolvimento regional. Working Papers Mercados e Negócios TSI. 2006.

BLONSKI, F. et al. O Controle Gerencial na Perspectiva do New Public Management: O Caso da Adoção do Balanced Scorecard na Receita Federal do Brasil. Administração Pública e Gestão Social, [S.l.], p. 15-30, jan. 2017. ISSN 2175-5787.

CARMONA, C. U. M; AQUINO, J. T; GOUVEIA, R. L. A. Inovação e agregação de valor: um estudo das empresas brasileiras mais inovadoras. Exacta – EP, São Paulo, 14:1, 71-84, 2016.

COUTO, H. L.; RIBEIRO, F. Objetivos e desafios da política de compras públicas sustentáveis no Brasil: opinião dos especialistas. RAP, 2016, 50.2.

DAMANPOUR, F., & EVAN, W. M. Organizational innovation and performance: the problem of organizational lag. Administrative Science Quarterly, 29(3), 392-409, 1984.

DOSI, G.; FREEMAN, C.; NELSON, R.; e SOETE, L. Technical change and economic theory. London: Pinter Publishers., 1988.

EEN. Enterprise Europe Network. 2011. Disponível em: < http://een.ec.europa.eu/>. Acesso em: jan. 2019.

EUROPEAN COMISSION. Oslo manual: Guidelines for collecting and interpreting innovation data,3rd Edition. Organisation for Economic Co-operation and Development. OECD PUBLISHING. 2005.

FONSECA, P. G.; SANTOS, E. M. D. Fatores Críticos de Sucesso de ERP em uma Organização Pública e as Pressões Institucionais. GESTÃO.Org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 17, n. Ed. Especial, p. 163-177, 2019.

GONÇALVES, A; CARDOSO, H; CARVALHO, H; CARVALHO, G; STANKOWITZ, R. Panorama view of Innovation in Brazilian Small Businesses. International Journal of Innovation (IJI), 5:3, 2017.

LOPES JÚNIOR, Elias Pereira. O Efeito das Políticas Industriais sobre a Inovação.Administração Pública e Gestão Social, [S.l.], p. 101 - 110, abr. 2018.

LUNDVALL, B. National innovation systems – analytical concept and development tool. Paper presented at the Druid Tenth Anniversary Summer Conference 2005 on Dynamics of industry and innovation. Copenhagen, Denmark, June 27‐29, 2005.

MEDEIROS JUNIOR, M. A. Gestão por processos na administração pública: Um estudo junto aos usuários do processo de compras da Univasf. 2015.

MIRANDA, M. A. S. Gestão da informação para o processo de inovação: estudo de casos sob a ótica da abordagem integrativa em micro e pequenas empresas (MPES) de serviços de tecnologia / Morjane Armstrong Santos de Miranda. – 2018. Tese (doutorado) – Universidade Federal da Bahia, Escola de Administração, Salvador, 2018

Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. Traduzido pela FINEP- Financiadora de Estudos e Projetos, 2005, 136 p.

POZO, H; BUENO, M. S. Análise sobre o grau de maturidade em gestão da inovação nas micro e pequenas empresas do setor de tecnologia de Santos-SP. Exacta – EP, São Paulo, 13:2, 197-208, 2015.

ROGERS, E. M. Diffusion of innovations. 4 ed. Nova York: Free Press, 1995.

SCHUMPETER, J. A. History of economic analysis. New York: Oxford University Press, 1954.

SILVA, M. Inovação e empreendedorismo. In M. Raposo, M. Silva, & R. Rodrigues (Eds.). Manual de Apoio à Dinamização de Empresas de Base Tecnológica (pp. 25-40). Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2007.

TABORDA, C. S. B; ESTEVÃO, C.M.S.; NUNES, S.M. Gestão da inovação nas PME's da Beira Interior: as perspetivas dos gestores. Tourism & Management Studies, Vol. 9, Número 2. 124‐1. 2013.

TÁLAMO, J. R. A inovação tecnológica como ferramenta estratégica. Revista Pesquisa & Tecnologia FEI, 23, 26-33. 2002.

THEIS, V; HAUBERT, B; ZMIJEWSKI, J; SCHREIBER, D. Gestão da inovação em uma empresa do setor de borracha e termoplástico Innovation management in a rubber and thermoplastics company. Exacta – EP, São Paulo, 15:1, 15-29, 2017.

TIDD, J. e BESSANT, J. Gestão da inovação: integrando tecnologia. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

TIGRE, P.B. Gestão da Inovação: a economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

ZALTMAN, G., DUNCAN, R., & HOLBEK, J. Innovations and organizations. New York: Wiley, 1973.

Publicado
2022-12-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 195
  • PDF downloads: 135
Seção
CASOS DE ENSINO