INTERESSES COMERCIAIS NA COSTA DA MINA PARA A CONSTRUÇÃO DA FORTALEZA PORTUGUESA DE AJUDÁ:

UMA ANÁLISE DE “FLUXO E REFLUXO” DE PIERRE VERGER (SÉCULOS XVII-XVIII)

  • MOISÉS CORRÊA FONSECA DA SILVA UFRJ

Resumo

Este artigo pretende elucidar as razões econômicas e os eventos históricos que poderiam explicar a construção da fortaleza de São João Batista em Ajudá pelos portugueses no ano de 1721, buscando refletir sobre as influências africanas e europeias na história da fortificação. Para isso, tomaremos um trecho da obra “Fluxo e Refluxo” de Pierre Verger como fonte para a análise das hipóteses que fizeram com que a fortificação fosse edificada. Neste processo, dialogaremos com o estudo de Verger e com as perspectivas de trabalhos da historiografia contemporânea, cotejando-os de forma teórica, e realizando uma crítica aos processos de construção da narrativa que o pesquisador francês realizou através das fontes que foram recolhidas por ele ao longo de sua pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MOISÉS CORRÊA FONSECA DA SILVA, UFRJ

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em História Social/UFRJ

Publicado
2022-07-05
Métricas
  • Visualizações do Artigo 26
  • PDF downloads: 26