HORAS ABERTAS, CORPOS FECHADOS: A RELIGIOSIDADE DO CANGAÇO

  • Miguel Angelo Almeida Teles

Resumo

O escopo deste trabalho objetiva a realização de um estudo sobre a relação entre religiosidade e a crendice dos cangaceiros que permearam os sertões nordestinos desde o século XVIII até meados do século XX, considerando José Gomes Filho, o Cabeleira (1751-1776) e Cristino Gomes da Silva Cleto, o Corisco ou Diabo Louro (1907-1940) respectivamente, o primeiro e o último chefe representante do grupo de cangaceiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-15
Métricas
  • Visualizações do Artigo 33
  • PDF downloads: 684