ANÁLISE SEMIÓTICA: BISCOITOS ARTESANAIS COMERCIALIZADOS NA FEIRA LIVRE DE VITÓRIA DA CONQUISTA

  • Wéltima Cunha IFBA

Resumo

O objetivo desse artigo foi verificar a aplicabilidade de um mecanismo teórico metodológico na análise da comercialização de determinado fabricante biscoito artesanal, utilizando como base a literatura semiótica de Pierce, Santaella e outros teóricos, para analisar os signos verbais, não verbais, visuais, olfativos, sonoros e combinados, presentes nesse ramo de atividade, suas interações e sensações passadas ao receptor, bem como, a busca das classes desses signos identificados no boxe de comercialização, levando em consideração que o nome fantasia do empreendimento é o principal meio de comunicação entre o produtor e o consumidor, no ponto de venda ao momento da compra do produto. Para alcançar os objetivos propostos, a pesquisa foi conduzida pela metodologia qualitativa, no intuito de utilizar a semiótica primeiridade, secundidade e terceiridade, sustentada pela técnica da observação para a compreensão dos signos que envolvem a fabricação artesanal dos biscoitos e a sua comercialização, bem como para sugerir os aprofundamentos necessários das entrevistas, que serão realizadas em momento futuros, quando da pesquisa de campo. No que diz respeito à semiótica, pode-se afirmar que o uso dos signos está presentes e eles são envolventes. Portanto esse estudo corrobora na ampliação da semiótica em ambientes poucos estudados, como os biscoitos da feira livre de Vitória da Conquista.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 22
  • PDF downloads: 15