O contributo dos saberes locais para o ensino de Ciências: algumas reflexões a partir da prática docente em Moçambique

  • Jó António Capece

Resumo

A presente comunicação busca trazer à tona, uma abordagem que visa mostrar a relação entre os saberes locais e os saberes escolares, mormente no ensino de Ciências. Mercê da minha experiência de docência de mais de três décadas, fui constatando que o ensino de Ciências, estar a ser ministrado duma forma demasiadamente abstracta e longe da realidade que circunda os sujeitos aprendentes – os alunos. Tomando como mote as obras de Silva (2005): “Os conhecimentos tradicionais das comunidades indígenas e locais face aos direitos de propriedade intelectual”; de Geertz (2000), “O saber local”; de D’Ambrósio (2005), “Sociedade, cultura, matemática e seu ensino” e de Bastos (2013), “Etnociências na sala de aula: uma possibilidade para aprendizagem significativa” e na experiência que venho acumulando ao longo do meu percurso académico, questiono sobre, no caso do ensino de Ciências, que saberes são considerados pertinentes na formação da identidade nacional, global, sem ferir as identidades locais?”. Assim, com base numa pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, embrenhei-me nas comunidades locais que têm sido objecto da mina pesquisa, com o fito de fazer o “garimpo”, sobre a sabedoria arraigada nos afazeres do seu quotidiano. Os resultados têm mostrado que as comunidades locais possuem conhecimentos que, quando bem sistematizados, podem e devem ser incorporados nos saberes escolares, mormente no ensino Ciências. Porém, para que tal seja possível, precisamos potenciar a área de formação de professores, uma formação que privilegie a criação duma didáctica e de uma metodologia que leve o educador à procura dos saberes locais, convertendo-os em saberes escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 33
  • PDF downloads: 24