Fabric of enslavement: panos de terra

  • Clifford Pereira Royal Geographical Society (with IBG), Londres
Palavras-chave: Africa. Diáspora africana. Comércio de escravos. Tecnologia

Resumo

O artigo trata o tema do transporte têxtil como uma parte do comércio de escravos dentro do Império Colonial Português, ou seja, Africano, Asiático, territórios americanos e na própria Europa. Devido à sua diferente origem e tipo, comércio têxtil era constituído uma espécie de mercado globalizado dentro do mundo lusófono. Em contaste a estudos anteriores, este trabalho se concentra em tecnologias têxteis africanas transferidos para outras partes do Império Português e enfatiza a participação de tecnologias de fricanos dentro de diferentes culturas do mundo. Tal perspectiva nos ajuda a ver a África e não apenas como um continente de exportação de escravos, isto é, força de trabalho para outras partes do mundo. O artigo visa corrigir visão tradicional e amplamente difundida segundo a qual a África tinha descartado há tecnologias significativas antes da chegada dos europeus. Tal ponto de vista é prejudicial especialmente para diáspora Africana no mundo Atlântico. O artigo observa a importância das tecnologias têxteis africanas dentro do processo de colonização européia e explora o legado do comércio têxtil especialmente em lusitana Atlântico (Cabo Verde, Brasil, Nigéria). O documento sublinha importância de Panos de Terra produzidos em Cabo Verde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clifford Pereira, Royal Geographical Society (with IBG), Londres

Royal Geographical Society (with IBG), Londres, Reino Unido/ Museu da Antropologia da Universidade de British Columbia, em Van-couver, Canada.

Publicado
2018-03-07