Fragmentos de reminiscências identitárias nos dois lados do Atlântico: os mandigas de Mindelo e os cãos de Jacobina

  • Raphael Rodrigues Vieira Filho Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
Palavras-chave: Carnaval. Mindelo. Cabo Verde. Micareta. Jacobina-BA. Manifestações Populares.

Resumo

O presente texto traz uma pequena análise das festas dedicadas à Momo através de uma seleção bibliográfica e depois faz uma comparação inicial de imagens fotográficas publicadas de manifestações momescas em Mindelo, Cabo Verde, e Jacobina, Bahia. O Carnaval de Cabo Verde é propalado como uma das raízes carnavalescas brasileiras, porém isso nunca foi estudado sistematicamente. O Carnaval de Mindelo, segunda maior cidade de Cabo Verde,vem tomando feições parecidas com desfiles cariocas, descaracterizando as brincadeiras mais espontâneas da população local e preocupando os pesquisadores mais puristas desejosos de uma festa mais autêntica. Foram analisadas fotografias presentes no livro de Dominique Robelin e Tchale Figueira (2007) intitulado Carnaval do Mindelo Ilha de São Vicente e o ensaio fotográfico “E Que Tudo Mais Vá Pro Inferno” de autoria de Agenor Gondim (2009), para verificar as semelhanças existentes entre os atores sociais documentados.O texto é o resultado de investigação exploratória do projeto Festas Momescas nos dois lados do Atlântico, tendo por objetivo o levantamento de manifestações carnavalescas em lugares lusófonos da África, colocando -as em cotejo através de métodos da História comparada, com manifestações baianas dedicadas a Momo. Aqui foi adotada perspectiva de comparação entre imagens dos brincantes, pois ainda não temos informações sobre características importantes das manifestações, uma vez que esse é o resultado de pesquisa exploratória. Os conjuntos fotográficos são diversos na forma de captação das imagens e nas técnicas utilizadas, porém não inviabilizam a comparação dos personagens documentados. As conclusões parciais são de que os brincantes utilizam os mesmos adereços, pinturas corporais emelhantes,trajes e trejeitos parecidos, denotando uma forte ligação entre as duas manifestações presentes, ainda hoje, dos dois lados do Atlântico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Rodrigues Vieira Filho, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Professor Titular do DEDC I/Salvador e do Professor permanente do PPG História Regional e Local da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Doutor em História Social pela PUCSP e Pós-Doutor em Pesquisa pela Università degli Studi di Padova. Tem experiência em Pesquisa e Publicações nas Áreas de Manifestações Culturais Festivas Negras, História de Populações Negras, Relações Raciais e Normalização de Trabalhos Acadêmicos.

Publicado
2018-03-07