“Foy tão violenta, que em doze dias lhe tirou a vida”: documentos sobre a morte do governador Lourenço Lobo. São Tomé, 1769.

  • Cândido Domingues Universidade do Estado da Bahia, Campus IV (Jacobina)
Palavras-chave: São Tomé e Príncipe, Doença, Carneiradas, Malária.

Resumo

Apresentamos quatro documentos do Arquivo Histórico Ultramarino (Lisboa) referente à doença que acometeu o Governador de São Tomé e Príncipe, Lourenço Lobo de Almeida Garces Palha, em 1769 matando-o em poucos dias. Numa rápida introdução analisamos a importância de São Tomé e Príncipe e algumas relações com as “carneiradas” ou “doença da terra”, febres hoje conhecida como malária. Objetiva-se, portanto, publicizar tais documentos para estudos acerca da história política e epidemiológica daquelas ilhas do Ultramar português.

Biografia do Autor

Cândido Domingues, Universidade do Estado da Bahia, Campus IV (Jacobina)
Professor Assistente de História do Brasil, Universidade do Estado da Bahia, campus IV (Jacobina). Agradecemos
a bolsa de Iniciação Científica PICIN/UNEB para o projeto Dos Portos aos Sertões: rotas de comércio, capitães negreiros e outros agentes do tráfico atlântico de escravos. Bahia, século XVIII. ** Discente da Licenciatura em História, Universidade do Estado da Bahia, campus IV (Jacobina); Bolsista de Iniciação Científica, PICIN/UNEB.
Publicado
2017-10-08
Seção
Artigos