Será Simão Toko um profeta? uma leitura antropológica

  • Patrício Batsîkama Universidade Agostinho Neto
Palavras-chave: Simão Toko, Tokoismo, Antropologia e religião

Resumo

Simão Toko é uma figura histórica incontestável para a História da Libertação dos povos africanos, em geral. Em 1949-1950 lançou a sua ideologia sobre a libertação cultural e financeiro como princípio da emancipação, e simultaneamente lança o seu movimento religioso que pretendia a independência de África e uma séria de coisas que se concretizaram, nos dias de hoje. O nosso tema coloca uma questão e tenta respondê-la na base das teorias de sociologia e antropologia das religiões, por um lado. Por outro, apresenta o panorama onde se estrutura a teologia tokoista com propósito de ser studada na ânsia de enriquecer a Cultura de Paz entre os Angolanos, depois de uma longa guerra que deu forma a Cultura de Guerra entre os Angolanos. O propósito desta reflexão consiste em convidar os académicos angolanos a começar a questionar a utilidade ou não das práticas de dos saberes endógenos, em busca de solução dos seus problemas. O tokoismo é, enquanto pensamento social, um utensílio interessante para semear a Cultura de Paz entre os Angolanos em particular (depois de longos anos de guerra), mas também para repensar outros paradigmas de diálogo face a humanidade globalizada.

Biografia do Autor

Patrício Batsîkama, Universidade Agostinho Neto
Professor de História de Angola na UniMetro, Angola. É formado em História. Publicará um livro em Junho deste ano (2010), intitulado As origens do reino do Kôngo pela Editora Mayâmba, em Luanda.
Publicado
2017-10-08
Seção
Artigos