APRRESENTAÇÃO

  • Moisés Sampaio Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Resumo

Mais um número da Revista África(s) é lançado, e como já é de costume nos três anos de edição desse periódico, uma visão plural da África, seus povos e aqueles que reivindicam serem descendentes destes em outros lugares do mundo fora do continente é apresentada. Assim como o continente é plural, as representações sobre o mesmo, bem como as formas de analisar também o são. Esse talvez seja o maior êxito deste número, pois apresenta não uma África pobre, inculta, e folclórica, e os que descendem de lá como eternos escravos. Apresentamos aqui muitas visões que demonstram o contrário. A pujança cultural erudita africana, seus heróis e como o continente é visto em outros lugares, para além dos indivíduos que marcaram lugar fora da África se tornaram o mote deste número. Mais um número da Revista África(s) é lançado, e como já é de costume nos três anos de edição desse periódico, uma visão plural da África, seus povos e aqueles que reivindicam serem descendentes destes em outros lugares do mundo fora do continente é apresentada. Assim como o continente é plural, as representações sobre o mesmo, bem como as formas de analisar também o são. Esse talvez seja o maior êxito deste número, pois apresenta não uma África pobre, inculta, e folclórica, e os que descendem de lá como eternos escravos. Apresentamos aqui muitas visões que demonstram o contrário. A pujança cultural erudita africana, seus heróis e como o continente é visto em outros lugares, para além dos indivíduos que marcaram lugar fora da África se tornaram o mote deste número.

Publicado
2017-10-08
Seção
Editorial