Jogos Digitais como Estratégia de Ensino-Aprendizagem no Ensino Superior: a construção e aplicação do game Renascença na disciplina de Literatura

Romero Medeiros, Raniella Lima, Denise Silva, Luis Mercado

Resumo


O presente estudo apresenta uma proposta de estratégia didática baseada na aprendizagem com jogos digitais, buscando acrescentar ao ensino superior uma metodologia ativa, em que o aluno também atue no processo de ensino-aprendizagem. Nessa perspectiva é indispensável o uso de TIC´s como recurso para proporcionar aulas mais dinâmicas e interativas. O objetivo dessa prática com jogos é que o aluno possa, além de aprender o conteúdo específico da aula, desenvolver competências e habilidades úteis no ambiente extra-acadêmico. Outro aspecto importante na utilização dos jogos digitais é o envolvimento e o prazer que o aluno sente ao jogar, aprendendo de forma oblíqua, sem se preocupar necessariamente com um conteúdo. Essa aula de Literatura do curso de Letras, realizada com um jogo criado pela equipe intitulada Renascença Game, trouxe um resultado positivo, pois os alunos mostraram interesse, empolgação e também aprendizagem em relação ao assunto trabalhado. 


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L., 2009. ESTRATÉGIA DE JOGOS NA EAD. IN: LITTO F. E FORMIGA, M. (ORGS) EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O ESTADO DA ARTE. SÃO PAULO, PEARSON EDUCATION DO BRASIL, 141-146.

BERNABÉ, I., 2012. OS PROFESSORES COMO APRENDIZES COM AS TICS. IN: BARBA, CARME; CAPELLA, SEBASTIÁ (ORGS). COMPUTADORES EM SALA DE AULA: MÉTODOS E USOS. PORTO ALEGRE: PENSO, 7-83.

BOLZAN, D. P., ISAIA, S. M., MACIEL, A. M., 2013. FORMAÇÃO DE PROFESSORES: A CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA E DA ATIVIDADE PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR. REV. DIÁLOGO EDUCACIONAL, CURITIBA, V. 13, N. 38, 49-68, JAN/DEZ. DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW2.PUCPR.BR/REOL/INDEX.PHP/DIALOGO?DD1=7625&DD99=VIEW.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2002. UMA NOVA ESCOLA MÉDICA PARA UM NOVO SISTEMA DE SAÚDE: SAÚDE E EDUCAÇÃO LANÇAM PROGRAMA PARA MUDAR O CURRÍCULO DE MEDICINA. REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA, SÃO PAULO, V. 36, N. 3, JUN.. DISPONÍVEL EM: [ACESSO EM: 26 DE JUNHO DE 2014].

CUNHA, M. B., 2007. JOGOS NO ENSINO DE QUÍMICA: CONSIDERAÇÕES TEÓRICAS PARA SUA UTILIZAÇÃO EM SALA DE AULA. DISPONÍVEL EM: HTTP://QNESC.SBQ.ORG.BR/ONLINE/QNESC34_2/07-PE-53-11.PDF [ACESSO EM: 29 DE JUNHO DE 2014].

DIAS, A., JUNIOR, G., BARRÉRE, E., MINAS, P. E DE CALDAS, C., 2005. UTILIZANDO FXRUBY NA CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS 3D. DISPONÍVEL EM HTTP://WWW.COMP.PUCPCALDAS.BR/~AL550252522/DOWNLOADS/UTILIZANDO%20FXRUBY%20NA%20CONSTRU%E7%E3O%20DE%20CEN%E1RIOS%203D.PDF [ACESSADO EM 21 DE JULHO DE 2009].

GIRAFFA, L. E BITTENCOURT, J., 2003B. A UTILIZAÇÃO DOS ROLE-PLAYING GAMES DIGITAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. PPGCC/PUCRS.

GIRAFFA, L E BITTENCOURT, J., 2003A. MODELANDO AMBIENTES DE APRENDIZAGEM VIRTUAIS UTILIZANDO ROLE-PLAYING GAMES. XIV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. RIO DE JANEIRO: SBC.

HUIZINGA, J., 2008. HOMO LUDENS: O JOGO COMO ELEMENTO DA CULTURA. PERSPECTIVA, E., (EDS.). USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.

MASETTO, M. T., 1998. PROFESSOR UNIVERSITÁRIO: UM PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO NA ATIVIDADE DOCENTE IN: MASETTO, MARCOS T. (ORG). DOCÊNCIA NA UNIVERSIDADE. CAMPINAS: PAPIRUS.

MEDEIROS, R. A., 2009. RACIOCÍNIO CIENTÍFICO POR MEIO DE JOGOS ELETRÔNICOS COLABORATIVOS. 2009. 140 F. DISSERTAÇÃO (MESTRADO) - CURSO DE MODELAGEM COMPUTACIONAL DO CONHECIMENTO, UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS, MACEIÓ – AL.

MENEZES, C. S. (ORG.), 2003. INFORMÁTICA EDUCATIVA II - LINGUAGENS PARA REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO. VITÓRIA: UFES, FASCÍCULO USADO EM CURSOS DE GRADUAÇÃO DO NEAD/CREAD/UFES.

OLIVEIRA, V. B., 2003. JOGOS DE REGRAS E A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. VOZES, E., (EDS.).

PIMENTA, S. G., 2009. A PROFISSÃO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO: PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE. IN: CUNHA, M. I. DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA: PROFISSIONALIZAÇÃO E PRATICAS EDUCATIVAS. FEIRA DE SANTANA: UEFS EDITORA.

RAMOS, K. M., 2010. RECONFIGURAR A PROFISSIONALIDADE DOCENTE UNIVERSITÁRIA: UM OLHAR SOBRE AÇÕES DE ATUALIZAÇÃO PEDAGÓGICO-DIDÁTICA. PORTO: UNIVERSIDADE DO PORTO.

RETONDAR, J. J. M., 2007. TEORIA DO JOGO. ED. VOZES.

RIZZO, G., 1996. JOGOS INTELIGENTES: A CONSTRUÇÃO DO RACIOCÍNIO NA ESCOLA NATURAL. RIO DE JANEIRO: BERTRAND BRASIL.

VALENTE, L., 2005. GUFF, UM SISTEMA PARA DESENVOLVIMENTO DE JOGOS. DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.