Fantasias, sonhos e símbolos: contribuições psicanalíticas para a concepção de conteúdo para jogos

Lisiane Fachinetto, Patrick Caldeira de Almeida

Resumo


O artigo estuda a produção de narrativas para jogos mediante a perspectiva da psicanálise trazendo um estudo sobre as fantasias, arquétipos e sobre os sonhos como forma de compreender os jogos. Os jogos são midias recentes que tem crescido muito rapidamente e cujo universo ainda tem bastante aspectos a serem explorados. Nesse artigo irei  falar sobre construção de narrativas e personagens para jogos


Texto completo:

PDF

Referências


CAMPBELL, J., 2004. O Herói de mil faces. Pensamento.

CHAUÍ, M., 1984. Repressão sexual: Essa nossa (Des)conhecida: Brasiliense.

CHRIS, C., Josiah, L 2011. Interactive storytelling for video games: A player centered approach to creating memorable characters and stories.

FREUD, S., 1924. A Dissolução do complexo de édipo. Vol XIX.

FREUD, S., 1999. A Interpretação dos sonhos. Imago.

FREUD, S., 1908. Escritores criativos e devaneios. Vol IX.

GARCIA-ROZA, L.A., 2003. Freud e o Inconsciente. Zahar.

HUIZINGA, J., 2008. Homoludens. Perspectiva.

JUNG, C.G., 2011. Os Arquétipos e o inconsciente coletivo. Vozes.

LACAN, J., 2007. Écrits. 1ªEd. W. W. Norton & Company.

MURRAY, J.H., 2003. Hamlet no holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. Unesp.

NASIO, J.D., 2007. A Fantasia. Jorge Zahar.

PRESTES, A.B., 2008. Abandono, acolhimento, adoção: Rejeição e redenção na literatura infantil.

TROY, D., 2000. Using the hero’s journey in games. PhD thesis, Cornell University.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.