AÇÕES EDUCATIVAS E USO DE TECNOLOGIAS PARA GESTÃO DOS CUIDADOS NO PACIENTE DIABÉTICO

  • Helena Marilia F. C. Guimarães UNEB
  • Josiane Silva Martins Carvalho UNIJORGE
  • Julia Elen Jesus da Silva UNEB
  • Carla Barreto Cardoso UNEB
  • Fernando Luis de Queiroz Carvalho Uneb

Resumo

A educação em saúde representa um recurso para promoção de saúde e prevenção de doenças. O objetivo é investigar o uso de ações educativas voltadas à gestão dos cuidados no paciente diabético. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, obtida a partir de dados secundários das bases de dados SCIELO, PubMed e da Plataforma Periódicos Capes, no período de 2003 a 2019. Para garantir a amplitude do estudo, os artigos foram agrupados em três categorias. Os resultados demonstram que a utilização de ações educativas detém grande importância no gerenciamento do curso da doença, bem como do seu tratamento. A educação em saúde é um recurso por meio do qual os profissionais de saúde têm a possibilidade de fornecer ao indivíduo diabético conhecimento sobre a sua enfermidade, permitindo o desenvolvimento da autonomia e da capacidade de autogerenciamento dos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, V. S., 2005. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, SP, v. 9, n. 16, p. 39-52.

AMERICAN DIABETES ASSOCIATION, 2010. Diagnosis and Classification of Diabetes Mellitus. Diabetes Care. (Suppl 1), S:62-S:69.

AMIRKHIZI, A.J, et al., 2018. Adherence to medications, self-care activity, and HbA1c status among patients with type 2 diabetes living in an urban area of Iran. Journal of Diabetes & Metabolic Disorders.. V.17, ed.2 , pp 165–172.

BARDIN, L., 2011. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

BERNIER, A et.al., 2018. New-Onset Diabetes Educator to Educate Children and Their Caregivers About Diabetes at the Time of Diagnosis: Usability Study, JMIR Diabetes, v.3, n.2.

BRITO, G.M.G et al., 2016 Qualidade de vida, conhecimento e atitude após programa educativo para Diabetes. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 29, n. 3, p. 298-306.

CHAWLA, S. P. S et al., 2019 I Impact of health education on knowledge, attitude, practices and glycemic control in type 2 diabetes mellitus. Journal of Family Medicine and Primary Cary. V.8, n.1, p.261-268.

COSTA, M.; LÓPEZ, E., 1996. Educación para la salud. Madrid: Pirámide,. p. 25-58.

CYRINO, A. P; SCHRAIBER, L.B; TEIXEIRA, R.R., 2009. Education for type 2 diabetes mellitus self-care: from compliance to empowerment. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 13, n. 30, p. 93-106.

FARIA, H.T.G et al., 2013. Qualidade de vida de pacientes com diabetes mellitus antes e após participação em programa educativo. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 47, n. 2, p. 348-354.

FAVARO,T.L. et al., 2016. Impacto da estratégia de grupo educativo no melhoramento de parâmetros clínicos e glicêmicos de diabéticos e hipertensos. Invest. educ. enferm.vol.34 no.2

FERREIRA,V.Campos,.S.,2014.Advances in pharmacological treatment of type 2 diabetes. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research-BJSCR. Vol.8, n. 3, p.72-78.

FREIRE, P., 2002. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa.24ªed.São Paulo: Paz e Terra.

GRILLO, M. F. F. et al., 2013. Efeito de diferentes modalidades de educação para o autocuidado a pacientes com diabetes. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 59, n. 4, p. 400-405.

IMAZU, M.F.M.et al., 2015. Effectiveness of individual and group interventions for people with type 2 diabetes. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 23, n. 2, p. 200-207.

KEBEDE, M.M; Schuett, C.; Pischke, C. R., 2019 The Role of Continuous Glucose Monitoring, Diabetes

Smartphone Applications, and Self-Care Behavior in Glycemic Control: Results of a Multi-National Online Survey. Journal of Clinical Medicine. V.8, n.1, p.109.

LEE, Y. et al., 2016. Intervention for Diabetes with Education, Advancement and Support (IDEAS) study: protocol for a cluster randomised controlled trial. BMC Health Services.

LIMA, C.R., 2018. Educação em saúde: avaliação de intervenção educativa com pacientes diabéticos, baseada na teoria social cognitive. Ciênc. educ.vol.24 no.1.

MACEDO, M. M.L., et al., 2017. Adesão e empoderamento de usuários com diabetes mellitus para práticas de autocuidado: ensaio clínico randomizado. Rev Esc Enferm USP, v. 51.

MENDES, K.D.S., Silveira R.C.C.P., Galvão C.M., 2008. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 17(4): 758-64.

MILLO, R,b.; Connelly, C, D., 2019. Predictors of glycemic management among patients with type 2 diabetes. Journal of clinical nurse.V.28.

NETO, G., Malik, A. M., 2014. Gestão em Saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

RANKIN, D., et. al.,2018. Barriers and facilitators to taking on diabetes self-management tasks in pre-adolescent children with type 1 diabetes: a qualitative study. BMC Endocr Disord, V.18.

RODRIGUES, A.J., 2006. Metodologia científica. São Paulo: Ed. Avercamp.

SCHALL, V.T.; S Struchiner M., 1999. Educação em saúde: novas perspectivas. Cad. Saúde Pública, v. 15, supl. 2, p. S4-S6.

SILVA, D.D.R.; Bosco, A.A.2015. An educational program for insulin self-adjustment associated with structured self-monitoring of blood glucose significantly improves glycemic control in patients with type 2 diabetes mellitus after 12 weeks: a randomized, controlled pilot study. BMC, Central. Diabetology e Metabolic Syndrome. n.7.v.2.

TORRES, H.C.et.al., 2011. Intervenção educativa para o autocuidado de indivíduos com diabetes mellitus. Acta paul. enferm., v. 24, n. 4, p. 514-519.

TORRES, H.C.; Hortale, V.A.; Schall., V. 2003. A experiência de jogos em grupos operativos na educação em saúde para diabéticos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 19, n. 4, p. 1039-1047.

TORRES, H.C.; Pereira.; Rodrigues, F. L; Alexandre, L.R., 2011.Avaliação das ações educativas na promoção do autogerenciamento dos cuidados em diabetes mellitus tipo 2. Rev. esc. enferm. USP, v. 45, n. 5, p. 1077-1082.

VIEIRA,G.L.C.; Cecilio, S.G.; Torres, H.C., 2017. A percepção dos usuários com diabetes sobre a estratégia de educação em grupos na promoção do autocuidado. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro , v. 21, n. 1.

WHITTEMORE, R.; Kathleen, K., 2005. The integrative review: updated methodology. Methodological issues in nursing research. Journal of Advanced Nursing, 52(5),p. 546–553

Publicado
2020-03-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 191
  • PDF downloads: 139
Edição
Seção
Artigos