A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E O CRESCIMENTO DO NÚMERO DE PATENTES NA ÁREA MÉDICA

  • Arminda Ursula Pereira Baqueiro Secretaria de Educação do Estado da Bahia
  • Cleber Ferreira Sena IFBA
  • Wagna Piler Carvalho dos Santos IFBA
Palavras-chave: Inteligência Artificial, Medicina, Patentes

Resumo

O objetivo do presente artigo é apresentar a importância da utilização da tecnologia da inteligência artificial desde o seu surgimento até a atualidade, em todos os campos do conhecimento com um avanço exponencial no número de registro de patentes em todo o mundo, com ênfase da aplicação na área médica, possibilitando que inúmeras vidas sejam salvas devido a diagnósticos precoces, cirurgias menos invasivas, mais precisas e com redução do período pós operatório, gerando menores custos em todas as etapas, desde o diagnóstico até  a total recuperação do paciente. A metodologia utilizada no estudo foi a pesquisa qualiquantitativa, através de dados bibliográficos secundários, obtidos através de pesquisas em publicações, disponibilizadas em banco de dados e da prospecção na base de dados do The Lens. A partir dos resultados obtidos das análises realizadas nos documentos pesquisados é possível se constatar que a tecnologia da inteligência artificial surgiu para revolucionar o mundo onde vivemos e trabalhamos, com inovações disruptivas de dispositivos médicos, comprovadas através do elevado número de patentes na medicina, levando ao entendimento de que a máquina surgiu para conviver de forma simbiótica com o ser humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arminda Ursula Pereira Baqueiro, Secretaria de Educação do Estado da Bahia
Aluna do Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação -PROFNIT - Ponto Focal UFBA. Doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais - Universidad del Museo Social Argentino (2017), Bacharelado em Direito pela Universidade Católica do Salvador (2010), Especialização em Docência do Ensino Superior pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002), Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal da Bahia (1998).  Professora da Secretaria de Educação do Estado da Bahia e advogada. E-mail: armindaursula@hotmail.com.
Cleber Ferreira Sena, IFBA
Aluno Especial do Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação -PROFNIT - Ponto Focal IFBA, Doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais - Universidad del Museo Social Argentino (2017), Especialização em Direito pela EMAB/UCSAL (2008), Bacharelado em Direito pela Universidade Católica do Salvador (2005), Especialização em Docência do Ensino Superior pela UFRJ (2002), Bacharelado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Bahia (1994). Professor do quadro permanente do Instituto Federal da Bahia. Registro na OAB/BA desde 2005. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil e Direito do Consumidor. Experiência em projetos e cálculo estrutural em concreto armado.
Wagna Piler Carvalho dos Santos, IFBA
Doutora em Química pela Universidade Federal da Bahia-UFBA (2007), mestre em Química pela UFBA (2003), licenciada em Química pela UFBA (2001) e técnica em Alimentos pela Escola Técnica Federal de Química do Rio de Janeiro, atual IFRJ. Atuou como professora do curso Técnico em Alimentos do Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná-CEFET/PR, atual UTFPR. Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia-IFBA. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Analítica, atuando principalmente nos seguintes temas: técnicas espectroanalíticas, ICP OES, preparo de amostras, alimentos, leguminosas e elementos essenciais e tóxicos.

Referências

BRASIL. Lei 9.279 de 14 de maio de 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Brasília, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9279.htm>. Acesso em: 17 ago. 2019.

GUARIZI, Débora Delfim; OLIVEIRA, Eliane Vendramini. ESTUDO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL APLICADA NA ÁREA AS SAÚDE. Colloquium Exactarum. v. 6, n. Especial, p. 26-37, Jul–Dez, 2014. Disponível em: <http://www.unoeste.br/site/enepe/2014/suplementos/area/Exactarum/Computa%C3%A7%C3%A3o/ESTUDO%20DA%20INTELIG%C3%8ANCIA%20ARTIFICIAL%20APLIACADA%20NA%20%C3%81REA%20DA%20SA%C3%9ADE.pdf>. Acesso em: 20 out. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL-INPI.Classificação de Patentes. Disponível em: <http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/patente/classificacao-de-patentes>. Acesso em: 8 set. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL-INPI. Classificação Cooperativa de Patentes (CPC) – Introdução: Módulo Avançado- Complementar I. Disponível em: <http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/informacao/arquivos/informacao-tecnologica/copy2_of_Tutorial_ClassificCPC_AVANCADO_v27072018.pdf>. Acesso em: 8 set. 2019.

LENS.ORG. Disponível em: https://www.lens.org. Acesso em: 10 out. 2019.

LOBO, Luiz Carlos. Inteligência artificial, o Futuro da Medicina e a Educação Médica. Revista Brasileira de Educação Médica. v.42, n.3, pp.3-8, 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbem/v42n3/1981-5271-rbem-42-3-0003.pdf>. Acesso em: 20 out. 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA PROPRIEDADE INTELECTUAL – OMPI. Estudo da OMPI sobre as Tendências da Tecnologia em 2019 sumário Executivo: Inteligência Artificial.Genebra, 2019. Disponível em: <https://www.wipo.int/edocs/pubdocs/pt/wipo_pub_1055_exec_summary.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2019.

RIBEIRO, R. Uma Introdução à Inteligência Computacional: Fundamentos, Ferramentas e Aplicações. Rio de Janeiro: IST-Rio, 2010.

TOPOL, Eric. The Patient Will See You Now: The Future of Medicine is in Your Hands. Basic Books, NY, 2015. Disponível em:<https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4442231/>. Acesso em: 20 out.2019.

WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION-WIPO. The story of Al in Patents. Disponível em: <https://www.wipo.int/tech_trends/en/artificial_intelligence/story.html?utm_source=WIPO+Newsletters&utm_campaign=695bb9fb50->. Acesso em: 17 ago. 2019.

Publicado
2020-05-16