A RELEVÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA PARA A GESTÃO EM UMA EMPRESA FAMILIAR

  • Suilane Pereira dos Santos Faculdade de Ciências Gerenciais da Bahia (FCGB)
  • Roberto Francisco de Souza PPGC - Programa de Pós - Graduação / Mestrado em Contabilidade - Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
  • Lismara Ribeiro Macedo Professora no Centro Universitário Mauricio de Nassau (UNINASSAU)

Resumo

O presente artigo teve como objetivo geral analisar o fluxo de caixa na percepção de gestores em uma empresa familiar. A metodologia utilizada no estudo classifica-se, quanto aos objetivos, descritiva, quanto aos procedimentos, estudo de caso e quanto a abordagem do problema, qualitativa. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada versando sobre o fluxo de caixa e contabilidade. A análise de dados foi conduzida conforme Bardin (1975). De modo geral, os resultados indicam que mesmo o gerente financeiro sendo possuidor de conhecimento e expertise na área, não “consegue” auxiliar de forma precisa os proprietários da empresa objeto de estudo para a boa gestão. Isso se deve talvez a dificuldades financeiras ou ainda a falta de recursos tecnológicos para dar suporte as atividades administrativas. O sócio 2 não sabe se a empresa possui planejamento de receitas, custos e despesas, pois só fica responsável pela parte operacional. Conclui-se que o fluxo de caixa apesar contribui para o desenvolvimento da gestão parece não ser uma prioridade para os envolvidos no processo de gestão da empresa estudo de caso e ainda a contabilidade não é levada em consideração para a tomada de decisão.

             

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suilane Pereira dos Santos, Faculdade de Ciências Gerenciais da Bahia (FCGB)
Graduação em Ciências Contábeis - Faculdade de Ciências Gerenciais da Bahia (FCGB)      
Roberto Francisco de Souza, PPGC - Programa de Pós - Graduação / Mestrado em Contabilidade - Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Mestre em Contabilidade pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Professor no Centro Universitário Mauricio de Nassau (UNINASSAU)

   
Lismara Ribeiro Macedo, Professora no Centro Universitário Mauricio de Nassau (UNINASSAU)
  Mestra em Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social - Fundação Visconde de Cairu (FVC).          

Referências

ALMEIDA, Rui MP; BARROS, Argentina FL. O Sistema de Normalização Contabilística e de Relato Financeiro-SNCRF-de Cabo Verde. ATF-Edições Técnicas, 2009.

BORNHOLDT, Werner. Governança na empresa familiar: implementação e prática. Porto

Alegre: Artmed, 2005.

DA SILVA BARRETO, Laís Karla et al. Competencias gerenciais requeridas em empresas familiares: o olhar de sucessores. Race: revista de administração, contabilidade e economia, v. 15, n. 1, p. 299-326, 2016.

DI AGUSTINI, Carlos Alberto. Capital de giro: análise das alternativas e fontes de

financiamento. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ESTOL, K. M. E.; FERREIRA, M. C. O. O processo sucessório e a cultura organizacional

em uma empresa familiar brasileira. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 4, p. 111-130, out./dez. 2006.

HALL, R. J. SOUZA, D. V. N. de. BRYK, G. R. VIANA, J. J. S. A utilização das ferramentas contábeis para tomada de decisão: um estudo nas micro e pequenas empresas do ramo de vestuário de Dourados – MS. Congresso Internacional de Administração – ADMPG Set. 2008.

HOJI, M. Administração financeira na prática: guia para educação financeira corporativa e gestão financeira pessoal. São Paulo: Atlas, 2007.

JUSTE, Antonio Donizeti. A empresa familiar. São Paulo: Proview, 2004.

LIZOTE, Suzete Antonieta et al. USO DO FLUXO DE CAIXA E SUA RELAÇÃO COM AS DIFICULDADES DE PERMANECER NO MERCADO DE PET SHOPS. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 7, n. 3, p. 214-229, 2017.

LUCENA, W. G. L. Uma contribuição ao estudo das informações contábeis geradas pelas micro e pequenas empresas localizadas na cidade de Toritama no agreste pernambucano. 2004. 114f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis). Universidade Federal da Paraíba. Paraíba, 2004.

OLIVEIRA, D. de P. R. Empresa Familiar: Como fortalecer o empreendimento e otimizar o processo sucessório. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 290 p.

MARTIN, S. Ce que les successeurs familiaux devraient faire. Revue de Gestion, v. 36, n. 1, 2011.

Publicado
2021-01-03
Métricas
  • Visualizações do Artigo 732
  • PDF downloads: 435
Como Citar
dos Santos, S. P., de Souza, R. F., & Macedo, L. R. (2021). A RELEVÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA PARA A GESTÃO EM UMA EMPRESA FAMILIAR. Scientia: Revista Científica Multidisciplinar, 6(1), 183-203. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/scientia/article/view/8067