POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA EM TEMPOS DE PANDEMIA: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA INTERPROFISSIONAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

Palavras-chave: População em Situação de Rua, Atenção Primária à Saúde, Serviço Social, Educação Interprofissional

Resumo

Objetivo: Este artigo visa relatar as experiências de abordagem interprofissional à população em situação de rua durante o curso da pandemia de Covid-19 em uma Unidade Básica de Saúde do município de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Método: Trata-se de um estudo na modalidade de relato de experiência com base na observação e participação da equipe multiprofissional da unidade de saúde articulado com o serviço especializado em abordagem social da região de atendimento, no período de abril a julho de 2020, correspondente ao curso da pandemia de Covid-19 no Brasil. Resultados: Os resultados foram relatados em dois eixos: a formação de um grupo de trabalho interprofissional e intersetorial e a dimensão social da assistência em saúde à população de rua. Conclusão: Considera-se que a implantação de um plano específico de cuidados à população em situação de rua no âmbito da Atenção Primária à Saúde evidenciou, de um lado, as iniquidades e as fragilidades das ações de proteção a este segmento populacional, e de outro mostrou a potencialidade das ações intersetoriais no território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kassiane Flori do Nascimento, Especializanda em Gestão Pública Municipal pela Universidade Federal de Santa Maria - Brasil

Bacharela em Serviço Social pelo Centro Universitário FADERGS. Assistente social no Serviço de Atenção Domiciliar da Associação Hospitalar Vila Nova. 

Deise Lisboa Riquinho, Professora na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Brasil

Doutora em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. Chefe do Serviço de Enfermagem Ambulatorial do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Coordenadora do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Saúde, Ambiente e Trabalho.

Darlise Rodrigues dos Passos Gomes, Doutoranda em Nutrição e Alimentos pela Universidade Federal de Pelotas - Brasil

Doutoranda e Mestra em Nutrição e Alimentos pela Universidade Federal de Pelotas. Nutricionista da Seção de Atenção Básica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Janaíra Dorneles de Quadros D'avila, Assistente social do Hospital de Clínicas de Porto Alegre - Brasil

Mestre em Política Social e Serviço Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordenadora do Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Primária à Saúde.

Mateus Augusto Baldissera, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Brasil

Mestre em Psicanálise: Clínica e Cultura. Integrante do Laboratório de Estudos em Psicanálise, Literatura e Política.

Referências

Delfin L, Almeida LAM, Imbrizi JM. A rua como palco: arte e in(visibilidade) social. Psicol. Soc. [Internet]. 2017; 29:e158583.

Diderichsen F, Hallqvist J, Whitehead M. Differential vulnerability and susceptibility: how to make use of recent development in our understanding of mediation and interaction to tackle health inequalities. Int J Epidemiol. 2019; 78(1):268-274.

Brasil. Decreto n. 7.053 de 23 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 24 dez. 2009. Seção 1, p. 16.

Sposati AO. COVID-19 revela a desigualdade de condições da vida dos brasileiros. Revista NAU Social. 2020; 11(20):101- 103.

Daltro RM, Faria AA. Relato de experiência: uma narrativa científica na pós-modernidade. Estudos e Pesquisas em Psicologia. 2019; 19(1):223-237.

Brasil. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, n. 12, 13 jun. 2013. Seção 1, p. 59.

Brasil. Lei n. 13.982, de 2 de abril de 2020. Altera a Lei n. 8.742, de 7 de dezembro de 1993, para dispor sobre parâmetros adicionais de caracterização da situação de vulnerabilidade social para fins de elegibilidade ao benefício de prestação continuada (BPC). Diário Oficial da União, Brasília, 2 abr. 2020. Seção 1, p. 1.

Abreu D, Oliveira WF. Atenção à saúde da população em situação de rua: um desafio para o Consultório na Rua e para o Sistema Único de Saúde. Cad Saúde Pública. 2017; 33(2): e00196916.

Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre. Nota pública do CMS sobre a extinção do IMESF. Porto Alegre: Conselho Municipal de Saúde; 2019.

Brasil. Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 20 set. 1990. Seção 1, p. 1.

Publicado
2022-05-17
Métricas
  • Visualizações do Artigo 281
  • PDF downloads: 158
Como Citar
Nascimento, K. F. do, Riquinho, D., Gomes, D. R. dos P., D’avila, J. D. de Q., & Baldissera, M. A. (2022). POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA EM TEMPOS DE PANDEMIA: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA INTERPROFISSIONAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 3, e13046. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/13046
Seção
Relato de Experiência