REPRESENTAÇÕES DE SALVADOR NA LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA: POR UM MODELO DE GEOPOÉTICA URBANA

  • Licia Soares de Souza

Resumo

Este texto mostra as bases de um projeto apresentado ao CNPQ para renovação de bolsa de produtividade em pesquisa. O objetivo é o de analisar formações geopoéticas (R. BOUVET) de uma série de narrativas romanescas ambientadas na cidade de Salvador, suscetíveis de construir uma memória longa, com base na recuperação de linguagens oriundas de blocos memoriais em circulação na semiosfera (I. LOTMAN) urbana da Bahia. Nesse sentido, busca-se compor um corpus de romances, produzidos a partir dos anos 1980 até os dias atuais que tenham a cidade de Salvador como cenário. Pensa-se em proceder ao levantamento e à averiguação de obras que inscrevam o espaço urbano soteropolitano na rede estética nacional, que reflete as grandes contradições de uma modernização que insiste na exclusão social, onde já existem exemplos representando outras metrópoles como Rio de Janeiro, Recife, São Paulo, Porto Alegre, entre outras. No presente texto, a ênfase é posta na obra de Inês Pedrosa, A eternidade e o desejo (2008) que põe em confronto espaços de violência da cidade antiga e da cidade moderna, vista através dos sermões do padre Antonio Vieira. Quer-se flagar o trabalho de mobilidade cultural apto a manifestar as transformações que ocorrem nos espaços urbanos soteropolitanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.