ORLANDO E MRS. DALLOWAY E A RECONFIGURAÇÃO DA NARRATIVA DE VIRGINIA WOOLF NA TELA

  • Carlos Augusto Viana da Silva

Resumo

Este artigo tem como principal objetivo analisar algumas marcas de reconfiguração das narrativas dos romances Mrs. Dalloway (1925) e Orlando (1928), de Virginia Woolf, em suas adaptações para o cinema. Considerando princípios teóricos sobre o romance moderno e a narrativa cinematográfica (BORDWELL, 1985; AUERBACH, 1998), descreveremos procedimentos tradutórios no processo de representação dos universos literários desses romances para as telas, bem como traços particulares de criação por parte das diretoras na construção das narrativas cinematográficas Mrs. Dalloway (1997), por Marleen Gorris, e Orlando (1992), por Sally Potter. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Métricas
  • Visualizações do Artigo 398
  • PDF downloads: 443