RITUAL SAGRADO: A DANÇA EM MARTHA GRAHAM E PINA BAUSCH

  • Regina Lara Silveira Mello
  • Rogério Pereira dos Santos
  • Thais Amaral

Resumo

A dança é meio de expressão. Na Antiguidade, incorporada como entretenimento e no século XV tem seu status e técnica ampliados para, finalmente, descobrir-se como linguagem artística que reflete seu tempo a partir dos processos iniciados no século XX. Por intermédio das experimentações de Vaslav Nijinsky, aliadas às quebras de paradigmas promovidas por Isadora Duncan, a dança liberta-se da narrativa para descobrir o corpo. Este artigo recupera um momento decisivo da dança, com a coreografia de Nijinsky para A Sagração da Primavera e seu reflexo na criação de Martha Graham e Pina Bausch. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Métricas
  • Visualizações do Artigo 725
  • PDF downloads: 1082