Um enfoque da morfologia construcional sobre as formações x–ário no Português arcaico

  • Natival Almeida Simões Neto PPGLinC/FAPESB/UFBA
  • Juliana Soledade UFBA/PROHPOR

Resumo

Neste artigo, buscamos investigar a polissemia apresentada pelo esquema de construção das formações com o sufixo –ário no português arcaico, para tanto, analisamos um corpus representativo do período em questão (séc. XIII a meados do séc. XVI) e aplicamos a esses dados a proposta de modelo construcional para a morfologia, seguindo Booij (2010, 2012, 2014. Assim, nos dedicamos a apresentar os pressupostos básicos da Morfologia Construcional, entendendo-a como uma alternativa teórico-metodológica para uma Morfologia Histórica, para, então, empreender a análise dos dados, que veio a demonstrar aspectos interessantes acerca das relações polissêmicas entre os tipos de instanciações desse esquema, como, por exemplo, a centralidade da noção relacional ou ainda, as relações metonímicas entre subesquemas agentivos.


PALAVRAS-CHAVE; Morfologia Construcional; Português Arcaico; Polissemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-08-30