Por uma abordagem ecológica da linguagem

  • Paulo Henrique Duque UFRN

Resumo

Neste artigo, pretendo especificar como um tipo particular de conhecimento sobre o mundo (affordances) interage com um tipo específico de conhecimento linguístico (construções) para produzir significado. Para isso, identificarei alguns processos envolvidos nessa integração, alguns tipos de combinação possíveis e algumas consequências semânticas dessas combinações, adotando o mecanismo de indexação proposto por Glenberg e Robertson (1999), de acordo com o qual, a compreensão de enunciados engloba três procedimentos: indexação, derivação e combinação de affordances, com base em restrições físicas e biológicas, bem como restrições sintáticas fornecidas pela sentença. À medida que a cognição se desenvolve na interação organismo-ambiente, a maneira como semantizamos o mundo depende sobremaneira dos recursos biológicos e físicos fornecidos pelo ecossistema do qual fazemos parte. Integrados ao ecossistema, gerenciamos inputs, percebemos, reconhecemos e associamos entidades em tempo real e, assim, aliviamos nossas memórias. Diante disso, a integração da estrutura conceptual (conceitos) com a estrutura material (física, do ambiente, e biológica, do organismo) parece ser uma estratégia cognitiva fundamental.

 

PALAVRAS-CHAVE: Cognição Ecológica; Semântica Cognitiva; Gramática de Construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-08-30