Militarismo e pacifismo em Euclides da Cunha

o caso Canudos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30620/pdi.v12n2.p61

Palavras-chave:

Conflitos bélicos, Guerra de Canudos, Militaristas, Pacifistas, José Ortega y Gasset, Max Scheler, Euclides da Cunha

Resumo

O presente ensaio discute duas noções inerentes ao pensamento de Euclides da Cunha: militarismo e pacifismo. Com base na biografia e declarações epistolares do escritor brasileiro, busca-se um modo de compreender o seu posicionamento quanto aos conflitos bélicos em geral e, mais particularmente, à guerra de Canudos. A nossa intenção, ao estabelecermos tal discussão, foi advertir possíveis intérpretes da Guerra de Canudos sobre o risco de, apressada ou imprudentemente, se concluir que Euclides abraçava o militarismo de forma cega ou definitiva. Esperamos que através de nossa análise – elencando certas figuras pacifistas dos séculos XIX e XX e, principalmente, com o apoio dos argutos comentários de José Ortega Gasset sobre as ideias de Max Scheler sobre a guerra – poder-se-á entender melhor a trajetória que percorreu o autor de Os sertões, o qual, por um lado, adere-se à ideologia do Exército num primeiro momento de sua vida adulta e, por outro, logo mais tarde renuncia-a para abraçar a das soluções pacíficas ou diplomáticas entre as nações.

[Recebido em: 20 nov. 2022 – Aceito em: 15 dez. 2022]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leopoldo M. Bernucci, University of California, Davis - California/USA

Possui doutorado em Doutorado em Literatura Hispano-Americana e Língua pela University of Michigan (1986).

Referências

ANDRADE, Olímpio de Souza. História e interpretação de “Os Sertões”. São Paulo: Edart, 1960.

AMORY, Frederic. Euclides da Cunha: Uma Odisseia nos Trópicos. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009.

BENDA, Julien. La Trahison des clercs. Paris: Grasset, 1927.

BLOCH, Jean de. “The Wars of the Future”, The Contemporary Review, no. 80, set.1901.

CANDIDO, Antonio. “O direito à literatura”. In: Vários escritos. 5. ed., Rio de Janeiro: Outro Sobre Azul, 2014.

Carta 16/12/1902 de Porchat p/ Euclides. Coleção Olyntho Sanmartin, Biblioteca Nacional, RJ.

CUNHA, E. da. Canudos (Diário de uma Expedição). Introd. de Gilberto Freyre. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editores, 1939.

CUNHA, E. da. Canudos e inéditos. Introd. e org. de Olímpio de Souza Andrade. São Paulo: Edições Melhoramentos, 1967.

CUNHA, E. da. “Contra os caucheiros”. In: Contrastes e confrontos, Porto: Empresa Litteraria e Typographica – Editora, 1907.

CUNHA, E. da. Os sertões. 6a. ed. São Paulo: Ateliê, 2022.

DAVIS, Zachary. “The Values of War and Peace: Max Scheler’s Political Transformations”, Symposium, vol. 16, no. 2, outono de 2012.

GALVÃO, Walnice Nogueira; GALOTTI, Oswaldo. Correspondência de Euclides da Cunha. São Paulo: Edusp, 1997.

JAMES, William. “The Moral Equivalent of War”. Lecture 11. In Memories and Studies. New York: Longman Green and Co., 1911).

LE BON, Gustave. Enseignements Psychologiques de la Guerre Européenne. 10a. ed. Paris: Ernest Flammarion, 1916.

MARCONDES, Marleine Paula; TOLEDO, F. de. Relações internacionais em Euclides da Cunha. São Paulo: Nankin/Inst. Cultural, 2012.

ORTEGA y GASSET, Obras completas, tomo II, El Espectador (1916-1941), Madrid: Revista de Occidente, 1963.

Revista do Instituto Geographico e Historico da Bahia, Salvador, ano 27, n. 46, 1920.

RUSSELL, Bertrand. Justice in War-Time. Manchester and London: The National Labor Press, Ltd., c.1916.

SCHELER, Max. Der Genius des Kriegs und der Deutsche Krieg. Leipzig: Verland der Weissen Bücher, 1915.

TACITUS, Publius Cornelius. Dialogus, Agricola, Germania. Ed. por William Peterson e Maurice Hutton. London: William Heinmann/New York: The MacMillan Co., 1914.

URIARTE, Javier. The Desert Makers: Travel, War, and the State in Latin America. New York: Routledge, 2020.

WELLS, George H. The Wars of the World. London: William Heinemann, 1898.

Publicado

2023-02-07

Como Citar

BERNUCCI, L. M. G. L. Militarismo e pacifismo em Euclides da Cunha: o caso Canudos. Pontos de Interrogação – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Laboratório de Edição Fábrica de Letras - UNEB, v. 12, n. 2, p. 61–78, 2023. DOI: 10.30620/pdi.v12n2.p61. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/pontosdeint/article/view/16401. Acesso em: 24 jun. 2024.