Marina Colasanti e as três fases da literatura de autoria feminina

Autores

  • Angela Simone Ronqui Oliva

DOI:

https://doi.org/10.30620/p.i..v2i1.1531

Resumo

Resumo

O presente artigo visa analisar três pequenos contos da escritora contemporânea Marina Colasanti: “Para que ninguém a quisesse”, “Quando já não era mais necessário” e “Perdida estava a meta da morfose”, todos extraídos da obra Contos de amor rasgados (1986). Nosso intuito é verificar que, na literatura de Colasanti, ao analisarmos as atitudes das protagonistas, nota-se a presença de características que remetem às três fases da literatura de autoria feminina, propostas pela crítica e ensaísta norte-americana Elaine Showalter (1986).

Palavras-chave

Marina Colasanti. Fases. Autoria feminina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-09-27

Como Citar

RONQUI OLIVA, A. S. Marina Colasanti e as três fases da literatura de autoria feminina. Pontos de Interrogação – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Laboratório de Edição Fábrica de Letras - UNEB, v. 2, n. 1, p. 30–43, 2015. DOI: 10.30620/p.i.v2i1.1531. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/pontosdeint/article/view/1531. Acesso em: 19 jun. 2024.