O USO DAS MÍDIAS SOCIAIS NA APLICAÇÃO DE ATIVIDADES EXTENSIONISTAS COM O PÚBLICO DA TERCEIRA IDADE NO PERÍODO DE MAIO A DEZEMBRO DE 2021

  • Aila Roberta Passos Pereira UNEB
  • Viviani Silva Nascimento UNEB
  • Thailane Kelli Almeida da Gama UNEB
  • Glauber Sá Brandão Orientador/ UNEB
Palavras-chave: Terceira idade, educação em saúde, qualidade de vida, mídias sociais, atividades extensionistas

Resumo

Introdução: O uso das tecnologias como meio de comunicação tem impacto positivo reduzindo as consequências provocadas pelo isolamento social, pois promovem interações, momentos de descontração e aprendizados. As atividades de forma remota atuam como uma estratégia para promover melhores condições físicas e mentais para a população idosa, principalmente quando não há a possibilidade de serem desenvolvidas atividades presenciais (CHEN e SCHULZ, 2016). O processo de envelhecimento implica em profundas mudanças nas relações sociais, seja no contexto econômico, familiar ou cultural. Assim, buscar um estilo de vida no qual o bem-estar e a autonomia estejam presentes, decorre de um envelhecimento ativo, com participação em programas voltados para a população idosa, com o intuito de promover o cuidado do corpo, da mente e das relações (REIS et al., 2021). As atividades extensionistas inseridas na universidade mostram-se extremamente importantes neste contexto, sendo desenvolvidas através de projetos como: o projeto de extensão Educação em Saúde para Idosos da UATI e o projeto de extensão Qualidade de Vida e Envelhecimento Saudável (QuaLES), ambos relacionados ao programa Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). A UATI é desenvolvida como programa extensionista no âmbito da UNEB, campus VII - Senhor do Bonfim, a fim de desenvolver ações voltadas para a população da terceira idade. Os projetos citados atuaram de forma conjunta durante todo o desenvolvimento das ações, com o intuito de realizar atividades de diferentes temáticas ligadas a esta população. Objetivo: Promover ações educativas, que possam contribuir para melhorar a qualidade de vida dos idosos, por meio de aulas expositivas com diferentes temáticas, como: educação em saúde, orientações, práticas de exercício físico, meditação e relaxamento, todos adequados à terceira idade, de forma que possam ser incluídos na rotina dos idosos, além de proporcionar momentos de troca de experiências, aprendizados e socialização. Metodologia: As atividades foram desenvolvidas de forma remota, devido ao contexto pandêmico que impossibilitou a realização de atividades presenciais. Assim, ocorreram por meio da plataforma de reunião virtual Google Meet, escolhida por promover uma maior facilidade de acesso aos idosos, se comparada a outras. Inicialmente, foi realizado um teste com os idosos criando um link e pedindo para que eles acessassem esse link, com o objetivo de realizar um mapeamento da quantidade de idosos que tinham acesso à plataforma, e, aqueles que tiveram dificuldades no acesso, foram auxiliados por meio de conversas pelo WhatsApp. Além disso, foi solicitado também para aqueles que não conseguiram acessar o Google Meet, que pedissem ajuda a um familiar ou alguém mais próximo que de forma presencial conseguisse realizar essa assistência direta. Ressalta-se que as atividades foram realizadas durante o período de maio a dezembro de 2021, por meio de um encontro semanal de duas horas em acordo com os idosos. Vale destacar que, no dia do encontro, era enviado, antecipadamente, um lembrete relacionado a atividade que seria desenvolvida, informando os materiais e tipo de roupa necessário para melhor realização das atividades. Com uma hora de antecedência era enviado, no grupo do WhatsApp, outro lembrete referente ao horário da atividade e com 10 minutos de antecedência era enviado o link de acesso da plataforma Google Meet.  A quantidade de participantes durante as atividades variou entre 8 e 12 idosos. Todas as ações desenvolvidas foram previamente planejadas e baseadas em evidências científicas na área de envelhecimento humano com enfoque na educação em saúde direcionada à qualidade de vida, buscando estratégias para que as atividades fossem realizadas em casa, de maneira individual e com segurança, proporcionando uma troca de experiências entre os idosos e as monitoras dos projetos. Dessa forma, as monitoras contaram com todo o suporte tecnológico disponível e a utilização das plataformas virtuais para desenvolver atividades lúdicas, seja por meio de vídeos, ou uso de ferramentas para a elaboração de dinâmicas. No decorrer dos encontros era solicitado que os idosos ativassem suas câmeras para que houvesse uma maior interação, além de ser uma forma de avaliar como as atividades estavam sendo recebidas do outro lado da tela. Durante o período, foi possível a realização de diversas atividades, como alongamentos, exercícios de fácil execução utilizando materiais presentes do cotidiano dos idosos, tais como: toalhas, cadeira e cabo de vassoura. As práticas de meditação e relaxamento, como sono do yoga, meditação guiada, proporcionaram momentos importantes de maior consciência sobre o próprio corpo e a mente. Foram realizadas algumas dinâmicas com o objetivo de relacionar momentos de diversão, aprendizados e trocas de experiências como: a realização de bingos, confecção de artesanatos, roda a roleta, elaborada através do programa Word Wall, disponível na internet, com algumas perguntas e com ações que os participantes deveriam executar, por exemplo, dançar forró ou cantar uma música. Além disso, foram realizadas aulas expositivas com a utilização de slides, abordando temáticas variadas, por exemplo, racismo e preconceito etário, quedas em idosos e suas consequências, capacidade funcional, diabetes, alimentação e uso de fitoterápicos especificamente plantas comuns da região, como babosa (Aloe vera), picão (Bidens pilosa) e calêndula (Calendula officinalis). Os projetos contaram com a participação de colaboradores, profissionais de diferentes áreas como: nutrição, psicologia, enfermagem, educação física e fisioterapia. Os quais desenvolveram ações e aulas expositivas de acordo a sua área de atuação para o público alvo em questão, contando com a presença das monitoras durante o encontro. Durante o desenvolvimento, as monitoras buscaram realizar atividades voltadas ao autocuidado, autoestima e o reconhecimento sobre a própria personalidade, além de formas de colocar em prática ações simples, como arrumar o cabelo ou vestir uma roupa que gosta, visando praticar o autocuidado impactando de forma direta na melhora da autoestima desses idosos. É importante destacar que, um dos principais intuitos das monitoras era provocar discussão e consequentemente troca de conhecimento entre o grupo. No decorrer das atividades as monitoras estiveram atentas em prestar suporte referente às dificuldades relatadas no acesso a plataforma. Além disso, durante todo o desenvolvimento das atividades ao longo de cada mês, foram realizadas com frequência perguntas verbais e questionários, que continham questões relacionadas a atividades passadas, como uma forma de revisar o conteúdo abordado até o momento, além de avaliar o conhecimento adquirido pelos idosos, quais as contribuições haviam sido construídas e as práticas favoritas relatadas por eles. Com o intuito também de estimular conversas e discussões, possibilitando às monitoras coletar informações, que culminaram na elaboração dos resultados encontrados. Resultados: Diante do exposto, as atividades propostas foram recebidas de forma positiva por todos os idosos, houve uma boa participação durante a realização das atividades, sendo notória uma melhora significativa em manusear as ferramentas tecnológicas supracitadas usadas no decorrer das ações. Foi possível observar uma maior facilidade no acesso ao link e na manipulação do microfone, da câmera e do chat dentro da plataforma meet sendo um motivo a mais de alegria pela superação das próprias dificuldades. As atividades de exercício físico e alongamento proporcionaram aos idosos uma nova forma de adaptação e a possibilidade de se exercitar em casa de forma fácil e segura, pois durante o período pandêmico muitos precisavam se manter em casa a fim de evitar contaminação, porém mantendo-se ativos e impedindo as possíveis complicações do sedentarismo. A realização de momentos de relaxamento e meditação foram eficientes, principalmente, no alívio da ansiedade e na busca pela percepção sobre o próprio corpo em equilíbrio com a mente, onde os idosos relataram se sentir em paz, esquecer dos problemas e ainda quase adormecer durante as práticas. Na terceira idade, muitos idosos acabam abrindo mão da realização de ações individuais que promovem o autocuidado e a autoestima, os mesmos relataram ser difícil encontrar ânimo para realizá-lo e além disso escutam de pessoas próximas, palavras que ferem e reduzem sua autoestima. Mas, mesmo diante dessa realidade, foi possível perceber o quanto esses idosos acreditam na diferença em que atitudes simples como se cuidar, ouvir música, usar batom, cuidar do cabelo, tomar banho e vestir uma roupa que gostam podem impactar de forma positiva no cotidiano e disseram implementar tais ações no dia a dia tirando pelo menos 5 minutos para dedicarem a si mesmos. Durante a realização das dinâmicas todos os idosos se mostraram extremamente participativos, proporcionando interação, descontração e alegria entre o grupo e também com as monitoras, inclusive em uma ação na qual foi questionado sobre sugestões em relação a alguma atividade que os idosos gostariam de realizar, foi sugerido a realização de um bingo pela segunda vez. As aulas expositivas proporcionaram aos idosos solucionar dúvidas e adquirir novos aprendizados sobre diversas temáticas voltadas à terceira idade, como questões relacionadas à fatores de risco para quedas no ambiente domiciliar. Houve uma importante troca em relação aos hábitos e costumes realizados na rotina, o uso de tapetes, calçados e piso antiderrapante, possibilitando conhecer um pouco mais sobre a vida destes. No que diz respeito à alimentação, verificou-se durante as aulas e as discussões que a maioria mantinha um consumo de frutas, onde muitos diziam gostar e manter uma boa alimentação. A participação de colaboradores proporcionou maior segurança para abordar importantes assuntos, visto que, todos apresentaram-se empenhados em solucionar os questionamentos e entender as demandas do público alvo. Os idosos sempre relataram gostar muito da presença dos colaboradores, pois poderiam sanar suas questões e relatar suas experiências e práticas, em relação ao que podiam melhorar. Assim, foi de fundamental importância também a presença das monitoras no planejamento das atividades, prestando assistência nesses momentos e propondo adequação às necessidades percebidas durante as aulas. A realização das diversas atividades supracitadas, a socialização com as monitoras, colaboradores e os demais idosos durante esse período se mostrou de grande importância e com resultados positivos para o enfrentamento do distanciamento social necessário nesse contexto situacional. Com isso, em inúmeros momentos os idosos trouxeram suas experiências, vivências e histórias relacionadas ao seu passado e presente, formou-se um elo de confiança, onde estes podiam desabafar sobre suas alegrias, angústias e expectativas sobre o que viria futuramente. Conclusão: Diante do exposto, foi possível concluir que, a realização de projetos voltados para o público da terceira idade, principalmente no cenário pandêmico de 2021, onde os idosos são grupo de risco para a doença, levando-os ao distanciamento e isolamento social, e a adequação ao uso das mídias sociais foi de grande relevância, uma vez que,  trouxe momentos de grandes aprendizados, reflexões e adaptações, não só ao público da terceira idade, como também as monitoras envolvidas nos projetos em questão, sendo possível ensinar e aprender com as experiências de cada um deles. Por fim, conclui-se que os objetivos puderam ser alcançados, com uma melhora evidente na qualidade de vida destes idosos, pela realização das atividades educativas e práticas. Além disso, houve uma contribuição de forma positiva, pois, a atuação do projeto proporcionou aos idosos aprendizados, distração, e alegrias em ocupar um tempo semanal participando das aulas. Observou-se que, foi possível socializar, reunir e principalmente obter momentos de grande felicidade coletiva durante o período vivenciado. Torna-se fundamental o fortalecimento destes programas e projetos extensionistas disseminando conhecimentos para além dos muros da universidade, atuando diretamente com a comunidade, nesse caso voltados à realização de ações em conjunto entre discentes com a participação de outros colaboradores proporcionando educação em saúde e qualidade de vida para a população da terceira idade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHEN, Y. R.; SCHULZ, P. J. The Effect of Information Communication Technology Interventions on Reducing Social Isolation in the Elderly: A Systematic Review. J Med Internet Res, v. 18, n. 1, jan. 2016. DOI: https://doi.org/10.2196%2Fjmir.4596.

REIS, M. G. M. et al. Importância de um programa formativo sobre envelhecimento

ativo na perspectiva das pessoas idosas. Rev Bras Enferm, v. 74, n. 2, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0843.

Publicado
2022-11-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 20
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 12
Como Citar
Pereira, A. R. P., Nascimento, V. S., Gama, T. K. A. da, & Brandão, G. S. (2022). O USO DAS MÍDIAS SOCIAIS NA APLICAÇÃO DE ATIVIDADES EXTENSIONISTAS COM O PÚBLICO DA TERCEIRA IDADE NO PERÍODO DE MAIO A DEZEMBRO DE 2021. Encontro De Discentes Pesquisadores E Extensionistas, 1(01), e202217. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/edpe/article/view/15479